Maj Pm Lima Junior - Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT
Maj Pm Lima Junior – Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT

Um grupo contendo três empresários do ramo de aparelhagem de som foram até a Câmara Municipal de Rondonópolis na tarde desta quarta-feira (22), reclamar das apreensões e prisões que vem ocorrendo no município. O major Lima, comandante da Polícia Militar Ambiental (PMA) de Rondonópolis esteve na Câmara para fazer alguns esclarecimentos.

De acordo com o major, as guarnições que realizam a Patrulha do Sossego estão apenas cumprindo ordens que foram acordadas entre órgãos como Ministério Público Polícia Militar, Semma em 2013. As principais notificações e determinações vêm do Ministério Público, já baseadas em reclamações feitas pela população. A PMA também responde as ligações com denúncias feitas diretamente a polícia.

Leia também:  Durante entrega de obras, Taques destaca que não aceitará baderna e desrespeito

O acordo diz que em aferições de 55 a 70 decibéis é realizada apenas a orientação, caso ultrapasse esta quantidade é realizada a apreensão do som e prisão em flagrante do proprietário. “A Polícia Militar Ambiental não fica feliz em apreender os aparelhos, mas há uma determinação e somos cumpridores da Lei. As vezes algumas pessoas querem que deixemos passar alegando bom senso, mas o bom senso a seguir é a Legislação” afirmou o comandante.

 O presidente do conselho de Cultura do município, Max Ferraz, afirmou que a aparelhagem é o meio de trabalho de várias pessoas e que é necessário construir um caminho para isso, porém ele mesmo salientou que durante algumas audiências marcadas para discutir sobre os limites os próprios interessados não compareciam.

Leia também:  12ª edição do Encontro de Comerciantes terá Germano Rigotto

O major sugeriu uma reunião com o promotor Marcelo Vacchiano para que eles exponham os problemas da classe.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.