O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), ofereceu, nesta segunda-feira (27), denúncia contra Reginaldo Aparecido Moreira, acusado de ter sido o mandante dos ataques a ônibus do transporte coletivo na região metropolitana de Cuiabá, no dia 13 de junho. Na ocasião, três veículos foram incendiados. Caso condenado, ele poderá pegar uma pena de até 16 anos de reclusão.

De acordo com o Gaeco, o denunciado já responde a ação penal por integrar a facção criminosa Comando Vermelho no Estado de Mato Grosso. Além dele, também foram denunciados por compor a referida organização: Evandro Luz de Santana, André Matheus Silva Souza e Baltazar Luz de Santana.

Leia também:  Dupla aborda vítima e rouba moto no Jardim Eldorado

Interceptações telefônicas anexadas na denúncia demonstram que, além de repassar as determinações para os ataques ao transporte coletivo, as conversas instigaram a execução de policiais na grande Cuiabá. Um outro inquérito apura a tentativa de homicídio praticada, no mesmo dia, contra o agente penitenciário Wanderson Damião dos Santos. Existe, ainda, uma terceira investigação em andamento para identificar os autores dos incêndios. Os inquéritos estão sendo conduzidos pela Polícia Civil.

COMANDO VERMELHO: Cento e três pessoas já foram denunciadas pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) por fazerem parte do Comando Vermelho em Mato Grosso.

Segundo o MPE, os idealizadores da organização no Estado foram Sandro da Silva Rabelo, vulgo “Sandro Louco ou Bile”, Renato Sigarini, vulgo “Vermelhão”, Miro Arcângelo Gonçalves de Jesus, vulgo “Miro Louco” ou “Gentil” e Renildo Silva rios, vulgo “Nego ou Negão ou Liberdade”.

Leia também:  População revoltada amarra suspeito de furto a residência
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.