Foto: Reprodução/TV Globo
Foto:
Reprodução/TV Globo

Devem ser transferidos nesta terça-feira (21) para presídios federais de outros estados 11 presos da facção do traficante Nicolas Fabre Pereira de Jesus, o Fat Family, que foi resgatado de um hospital público no Rio, no domingo.

Entre esses presos está o tio de Fat Family, Edson Pereira Firmino de Jesus, o Zaca, que é apontado pela polícia como um dos envolvidos no planejamento da fuga do traficante do hospital. Fat Family é apontado como um dos chefes do tráfico do Morro Santo Amaro, no Catete, na Zona sul do Rio.

O Disque-Denúncia recebeu até o início da manhã desta terça-feira (21) 12 ligações com informações que podem ajudar a polícia a resolver o caso da invasão do Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio. Cerca de 20 criminosos fortemente armados invadiram a unidade na madrugada de domingo (19) para resgatar o traficante Fat Family. Houve tiroteio e um homem que chegava para atendimento morreu e duas pessoas ficaram feridas.

Leia também:  Aprovada em primeiro turno PEC que torna estupro crime imprescritível

Na segunda-feira (20) a PM fez uma grande operação em várias favelas do Rio para tentar encontrar os traficantes. Mas nenhum dos envolvidos foi achado e nem Fat Family foi recapturado.

A decisão sobre a transferência foi anunciada pelo secretário de Segurança Pública do Estado (Seseg), José Mariano Beltrame, que se mostrou indignado com o episódio da invasão e disse que vai ser instaurado um inquérito para apurar os procedimentos feitos no hospital.

O secretário disse que está sendo investigada a atuação dos policiais militares que faziam a custódia de Fat Family. Cinco agentes por turno faziam a guarda do traficante e foram rendidos por cerca de 20 criminosos.
O secretário comentou ainda sobre a necessidade de um hospital penitenciário e sobre a atuação da polícia no episódio da fuga de um traficante do hospital. Beltrame disse estar em contato com o departamento penitenciário federal para dar uma resposta à sociedade.

Leia também:  PMs são investigados pela Corregedoria por fotos amigáveis com integrantes do tráfico

“A gente não está omisso, nem vai ser omisso. Estamos desde ontem buscando providências pra minimizar um fato tão grave como o que aconteceu ontem”, afirmou Beltrame.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.