No frio, não só casacos e cachecóis das coleções de inverno saem às ruas. Também é moda na temporada gelada, os narizes vermelhos, os olhos inchados, corizas, dor de cabeça e mal-estar. Entre junho e setembro, os problemas respiratórios proliferam e algumas doenças aparecem. Com isso, aumenta o número de pacientes nos postos de saúde e hospitais, principalmente crianças e idosos.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, casos de gripe, bronquite, asma, rotavírus, catapora, caxumba e sarampo são mais comuns neste período.  Vários fatores levam a essa incidência como, por exemplo, o calor humano, que ao invés de esquentar, pode transmitir doenças, principalmente quando se trata de aglomerações em ambientes fechados.

Leia também:  Rodobens Negócios Imobiliários agora é RNI

O ar mais seco também cria condições favoráveis para a entrada de vírus e bactérias nas vias aéreas.  Conforme o médico pediatra que atende no Hospital Municipal da Criança, Antônio Alves Souza Neto, de modo geral, a prevenção dessas doenças requer cuidados simples como higienizar o nariz com soro fisiológico, manter o indivíduo agasalhado, espalhar vasilhas com água pelos ambientes da casa, lavar roupas guardadas antes de vestir, manter alimentação balanceada e beber muita água.

O médico diz que as crianças menores de cinco anos são as mais propensas a contrair as doenças no inverno e que sintomas como cansaço extremo, vômito e febre que perduram por mais de dois dias necessitam de acompanhamento médico.

Leia também:  AssuRoo | Time de futsal de surdos de Rondonópolis conquista 2° lugar da competição em Campo Grande

“A automedicação não é indicada. Em nossa cidade, principalmente quando se trata de pessoas antigas, existe o costume de administrar o famoso AAS (ácido Acetilsalicílico), que em alguns casos pode piorar o estado de saúde da criança levando a complicações maiores como hemorragias”, destaca o pediatra.

Vacinação

Conforme o gerente de Saúde Coletiva, Edgar Prates, manter a carteira de vacinação em dia é uma grande arma para evitar a contração desses tipos de doenças oportunistas. Quase todas as unidades de saúde administram diariamente as vacinas previstas no cartão de imunização e os estoques estão abastecidos.

Onde se vacinar: Centro de saúde Cohab, Centro de saúde Nossa Senhora do Amparo, Centro de Saúde São José, Centro de Saúde São Francisco, Policlínica, Jardim Guanabara, P.S Goulart e os ESF´s Assunção, Adriana, Atlântico, Dom Bosco, Bom Pastor, Cidade Alta, Caic, Canaã, Jambrapi, João de Barro, Cardoso, Industrial, Itapuã, Iguaçu, Mamed, Marechal Rondon, Padre Rodolfo, Parque Universitário, São Jorge, Santa Clara, Serra Dourada, Sumaré, Ypê, Vila Mineira, Luz D´Yara, Vila Verde, Primavera, Ipiranga, Vila Olinda, Cidade de Deus, Parque das Rosas, Margaria, Monte Lìbano, Europa, Vila Rica e P.S Paulista.

Leia também:  Casos de conjuntivite aumenta em Rondonópolis, mas Saúde alerta que não há surto na cidade

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.