Depois de mais 30 dias de greve no sistema penitenciário mato-grossense, a categoria decidiu em assembleia geral na manhã deste sábado (02) pela volta as atividades normais nas unidades penais do Estado a partir de domingo (03).

Para tomar essa decisão, os servidores penitenciários levaram em consideração a solicitação da assessoria jurídica do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT) que entrou com pedido de dissidio coletivo, o qual foi acatado pelo Tribunal de Justiça (TJ), que estará realizando na próxima quarta-feira (06.07) a primeira audiência para se discutir o assunto com o governo do Estado.

Durante a assembleia ainda, foi encaminhado e acatado pela categoria uma paralisação de 24 horas na próxima segunda-feira (04.07), sétimo dia do assassinato do agente penitenciário Aldo Halik (Bradock). “Será uma forma de prestarmos nossas condolências aos familiares e amigos, além de também ser uma forma de cobrarmos mais segurança para nossos servidores, além de chamarmos a atenção para os riscos da profissão”, informou o presidente do Sindspen-MT.

Leia também:  MT | Número de consumidores inadimplentes registrou aumento de 1,74% em outubro

Na oportunidade o presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT) parabenizou o empenho e o trabalho do comando de greve e demais servidores pela participação. “O trabalho dos servidores foi exemplar, recebemos muitos elogios das outras categorias pelo nossa atuação nessa greve, a maior do Estado de Mato Grosso, ou seja, nessa greve ganhamos o respeito dos outros servidores e conseguimos mostrar a todos o tamanho da nossa força”, disse Batista.

Servidores penitenciários irão realizar 24 horas de paralisação na próxima segunda-feira

Diante do assassinado do agente penitenciário Aldo Halik (Bradock) na semana passada e morte do agente de segurança do sistema socioeducativo Sidney Carlos da Silva Alves, os servidores penitenciários também decidiram em assembleia na manhã deste sábado por realizar uma paralisação de 24 horas na próxima segunda-feira (04.07).

Leia também:  Veículos com mais de 18 anos serão isentos de IPVA a partir de 2018

As atividades deverão estar paralisadas nas unidades penais de todo o Estado nesse dia como forma de protesto pelo ocorrido com os servidores, sendo realizadas somente serviços essenciais como alvará de soltura, mandado de prisão e audiência de monitória, retornando a normalidade na terça-feira (05.07).

Uma missa de sétimo dia também será realizada nesse dia. “Para essa missa que estaremos ainda divulgando o local e horário certinho, convocamos todos os servidores penitenciários a estarem usando o uniforme preto do sistema”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.