Uma criança de três anos deu entrada em um Pronto-Socorro de Belo Horizonte, nesta terça-feira (26), desacordada e com sinais de espancamento por todo corpo.
A mãe da vítima, Marília de Araújo Pereira, 23, levou a filha dizendo que a criança estaria sofrendo uma crise alérgica a um medicamento.

A menina apresentava queimaduras por todo corpo, hematomas na cabeça, marcas de mordida e unhadas. Marília informou à polícia que o namorado dela, Fabio Anacleto, de 25 anos, havia cuidado da criança durante o dia enquanto ela trabalhava.
O casal foi levado para Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, na capital mineira, para prestarem depoimento.

Divulgação
Divulgação

Segundo o pai da criança, o soldado da Polícia Militar Maikon Henrique, a filha teria dito no hospital que a mãe presenciou as agressões. Henrique conta que Marília havia ligado para ele de madrugada avisando que a filha estava sofrendo uma crise alérgica.

Leia também:  Madrasta de Isabella Nardoni sai da prisão para feriado do Dia das Crianças

O pai da vítima afirmou ainda que desconfiou do motivo da internação da criança já que perguntou a que medicamento a menina teve reação alérgica, mas a mãe desconversou.

Eu perguntei se ela [a criança] estava tomando medicamento. Ela não falou nada com nada e desligou o telefone na minha cara. Então eu fiz o contato e fiquei sabendo que a menina chegou aqui [no hospital] toda lesionada
O militar reclama que Marília dificulta o contato entre ele e a filha. Ele relata que não sabe nem mesmo o endereço dela. Com a agressão, o solfado espera conseguir a guarda da criança.

Ela não me passa endereço, não passa escola, não passa nada. Não sei nada sobre a vida da minha filha e eu corro atrás. Se Deus quiser eu vou conseguir a guarda dela agora.

Leia também:  Paciente é alvo de tentativa de homicídio dentro de hospital pela própria esposa
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.