Talvez fosse por sua atuação quase que inexpressiva como deputado estadual, que Sebastião Resende, tenha visto o seu sonho de ser lançado como pré-candidato à prefeito de Rondonópolis ir pelo ralo da história.

A ideia do deputado que aparece de quatro em quatro anos no município para pedir votos foi a mesma estratégia utilizada pelo também deputado estadual, Perry Taborelli (PSC), usar a imagem e a presença do polêmico, Jair Bolsonaro (PSC), para atrair a mídia e alavancar a pré-candidatura.

Acontece que Resende não contava com a movimentação do diretório municipal, que tem pretensões de se coligar com Percival Muniz (PPS), que ainda não se declarou pré-candidato, mas vem articulando e trabalhando forte com este intuito.

Leia também:  Bernardinho pode disputar governo do Rio de Janeiro

Final das contas? Bolsonaro chegou, foi embora e levou junto com ele a candidatura de Resende, que com certeza irá meditar muito sobre sua discretíssima atuação como deputado de “Rondonópolis” antes de se aventurar novamente em uma candidatura à prefeito do município.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.