A nova estimativa da safra 15/16 de milho em Mato Grosso (MT) reduziu ainda mais a produtividade esperada, mantendo, no entanto, a área semeada estimada em maio de 2016.

“Os impactos climáticos estão sendo severos, de forma que já se escuta, mesmo que em casos isolados, sobre lavouras com produtividade insuficiente até mesmo para cobrir o custo operacional com sua colheita” relata os economista do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

A região nordeste é disparadamente a mais afetada pela escassez de chuva nos períodos de maior importância para o desenvolvimento das plantas, até mesmo sobre as lavouras que foram semeadas dentro da janela ideal, haja vista o déficit pluviométrico na região.

Leia também:  Emprego temporário de fim de ano é oportunidade de contrato definitivo

 No último relatório, o Imea estimou uma produção de 20,224 milhões de toneladas, o que significa um recuo de 1,021 milhão de toneladas em relação à estimativa anterior, que foi realizada no final de maio de 2016.

Essa queda na produção do Estado deve tornar a relação de oferta e demanda apertada internamente, sendo a expectativa de que o mercado opte por suprir a demanda interna.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.