Se o eleitor acha que já viu de tudo no cenário político, parafraseando o velho ditado ‘vamos morrer e não veremos tudo’. Em época de eleições municipais, o que não é novidade são os vários nomes de pré-candidatos a prefeitos e a vereadores apresentados aos eleitores.

Diante de tantos pretensos candidatos, um fato que chamou a atenção é que dentre os pré-candidatos a prefeito está um preso monitorado por tornozeleira eletrônica. O caso foi noticiado por um site local, contudo, o mesmo não atribuiu ‘nome aos bois’.

Vale ressaltar que a cidade, Itanhangá -MT, tem cerca de 4 mil eleitores e pelo menos seis pretensos candidatos a prefeito. O que leva a crer que nem tornozeleira eletrônica segura os interessados pelo executivo do município. Já imaginou se o pretenso candidato é eleito?

Leia também:  Percival diz que MT tem que ter governador com perfil de Mujica

E acredite, ao contrário do que o senso comum pode indicar, um especialista revela que a utilização da tornozeleira eletrônica não impossibilita a participação na disputa eleitoral, conforme prevê a constituição.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.