Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Nos EUA, Stacey Gwilliam, 34, estava noiva de Keith Hughes, um bodybuilder de 39. Durante uma discussão pesada de casal, a britânica foi atacada e acabou sendo estrangulada por ele. Stacey ficou desmaiada e inconsciente no chão.

Divulgação
Divulgação

Quando acordou, estava em uma cova coberta por muita terra e folhas. Mesmo sem conseguir respirar, a vítima deu um jeito de sair dali e voltou para denunciar o noivo.

O caso chocou o país e ganhou destaque nos principais jornais europeus. Stacey foi convidada ao programa Good Morning Britain para falar sobre o pesadelo que viveu.

Stacey diz que ambos diziam coisas horríveis um ao outro: “Ele me bateu, estava ficando louco. Só queria que ele se acalmasse”.

Leia também:  Ataque terrorista deixa dezenas de feridos no metrô de Londres

Quando ele agarrou e colocou os braços em volta do pescoço dela, Stacey tentou lutar. “Mas não consegui me soltar, ele é alto e forte como um touro”, lembra.

O noivo sinalizou que as coisas sairiam do controle ao dizer, em tom de ameaça: “Se eu não posso ter você, então ninguém mais terá”.

Hughes se defende dizendo que “pensou que a noiva estava morta”. Quando acordar do desmaio, a vítima percebeu que estava enterrada. Foi difícil, mas Stacey conseguiu retirar toda a terra e o mato que estava em cima dela.

Teve que passar 26 dias no hospital e ainda tem dificuldade para comer e falar. Os ataques

Divulgação
Divulgação

foram tão cruéis que Stacey precisou andar de muletas por algumas semanas.

Leia também:  Reprodução assistida a mulheres solteiras e homossexuais deve ser autorizada na França

“Eu tenho flashbacks constantes, além de ataques de pânico”,”Tenho dificuldade para pegar no sono e relaxar”, diz

Eu acordo no meio da noite em pânico. Eu nunca, nunca, vou esquecer o que ele fez para mim.

No tribunal, o bodybuilder alegou que não tinha intenção de matá-la. “Entrei em pânico. Joguei um pouco de terra em cima dela, junto com uns ramos de folhas. Pensei que estivesse morta. Me arrependi de tudo o que eu fiz”

O arrependimento não bastou ao juiz do caso, que decretou prisão perpétua ao sujeito.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.