O Tribunal de Justiça, em decisão dada pelo desembargador Sebastião de Moraes Filho, determinou que o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep) retire todas as crianças e adolescentes que estão participando do movimento grevista da categoria. O magistrado determinou ainda que sejam retiradas as barricadas, que estão impedindo o acesso de servidores à entrada da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) como também podendo causar ameaça ou dano ao prédio público.

sintep - Foto: reproduçãoPara ambas as determinações, o desembargador deu o prazo de 24 horas para cumprimento, sob pena de multa de R$ 15 mil ao dia. De acordo com o desembargador, a decisão foi dada após documentos terem sido apresentados à Justiça em que mostram membros do Sintep “utilizando-se de crianças em dia de manifestação, conduta esta notadamente inaceitável pela sua exposição a riscos desnecessários, ainda mais tendo em conta a periclitante divergência entre aqueles que paralisam suas atividades funcionais e outros que buscam exercê-las”, destaca trecho da decisão. Em relação ao movimento grevista, os profissionais da educação estão paralisados há mais de 40 dias.

Leia também:  Taques destaca que Estado faz gestão parceira dos municípios

Conforme levantamento realizado nas unidades de educação, 68% da rede está sem atividades. As demais escolas (32%) seguem em pleno andamento. Segundo nota da assessoria da Seduc, a paralisação dos serviços tem prejudicado diretamente os estudantes de Mato Grosso. “Desde o início do movimento, o Governo tem mantido diálogo aberto com a categoria, inclusive atendendo as reivindicações da classe”. Sobre a demanda relacionada ao salário, o governo garante que os professores acumulam 14,36% de reajuste este ano.

O percentual é referente ao reajuste previsto na lei de carreira, que é de 7%, e mais 7,36% do Reajuste Geral Anual (RGA), aprovado pela Assembleia Legislativa, no último mês. “Se contabilizado, a classe obteve um reajuste no salário de 26% nos últimos dois anos. Esse percentual leva em consideração a lei de carreira da categoria e o RGA assegurado pelo governo do Estado em 2015 e 2016”.

Leia também:  Fies divulga resultado do segundo semestre de 2017

Outra reivindicação feita pelo Sintep é o lançamento de concurso público, que já foi anunciado pelo governo do Estado no início do mês. De acordo com o cronograma, o número de vagas e critérios de seleção serão definidos em 30 dias, o lançamento do edital está previsto para dezembro deste ano e a realização das provas em fevereiro de 2017.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.