Um vendedor ambulante, de 34 anos, foi agredido por policiais militares no momento em que foi preso, em Goiânia. Moradores de uma ocupação no Parque Santa Rita, onde aconteceu prisão, filmaram a agressão, que é cometida com um taco de beisebol. Segundo a irmã do homem, uma autônoma de 36 anos que não quis ser identificada, ele foi preso em um cumprimento a um mandado de prisão por agredir a esposa. Ela reclama da atitude dos policiais.

Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Segundo a mulher, o caso ocorreu no final da tarde de domingo (21). As imagens mostram o homem já algemado e sendo colocado no carro da Polícia Militar (PM) por quatro militares. Ele se levanta gritando em direção aos PMs, enquanto os policiais insistem e um deles diz: “Fica quieto”.

Leia também:  Ator de "Cidade de Deus" suspeito de matar sargento se entrega no Rio de Janeiro

Neste momento, um dos policiais pega um taco de beisebol e começa a agredir o preso, que cai no chão ainda gritando. Os PMs insistem para que ele entre na viatura: “Bora (sic) rapaz”, diz um deles. Um quinto militar chega e coloca um pé sobre o quadril do detido.

Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que “a conduta desses policiais militares, não condiz com que é determinado pelo comando da corporação, e nem pelo que preconiza o Procedimento Operacional Padrão”. Ainda segundo o texto, “o vídeo foi encaminhado para corregedoria para a apuração rigorosa da conduta dos policiais militares envolvidos”.

A irmã do homem detido afirma que ele estava bêbado no momento da abordagem e que é usuário de drogas. Ela reclamou da forma como a prisão ocorreu.
“Eu vi o que aconteceu. Ele estava na casa de frente à minha abraçando uma velinha e estava bêbado. Os policiais chegaram já mandando ele deitar no chão, gritando com ele. Ao invés de abordar direitinho veio batendo nele. Gostaria que me ajudassem a internar ele, porque ele não é bandido, não é criminoso para estar onde está, só tem um vício e precisa de fazer tratamento”, disse ao G1.

Leia também:  ProUni: Lista de selecionados na lista de espera está disponível
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.