A transferência dos detentos ocorreu, na tarde desta terça-feira. Segundo informações colhidas no local, destes cem presos, 25 foram encaminhados para o presídio Osvaldo Florentino Leite, o “Ferrugem”, em Sinop; 25 para o presídio da Mata Grande, em Rondonópolis; 30 para as unidades prisionais de Cuiabá e os outros 20 para a cadeia de Juara.

Divulgação
Divulgação

Foram utilizados alguns ônibus para o transporte dos detentos da cadeia de Nova Mutum para as demais unidades do Estado. Ao todo, a unidade prisional do município contava com pouco mais de 150 presos. Os que permaneceram serão realocados para outras alas.

Ontem à noite, durante a rebelião, parte da cadeia foi depredada e haverá a necessidade de realizar reforma. A situação foi confirmada pelo diretor da unidade, Antônio de Lima. Os presos quebraram várias paredes. A situação foi controlada algumas horas depois.

Leia também:  Fies divulga resultado do segundo semestre de 2017

Durante a confusão, dois agentes penitenciários foram feitos reféns e quatro detentos conseguiram fugir. Willian Santos Almeida (acusado de roubo), Ronaldo dos Santos (preso por homicídio), Bruno Nunes dos Santos (preso por roubo) e Luan Felipe de Oliveira França escaparam. A ação rápida da polícia e dos próprios agentes penitenciários evitaram fuga maior.

Os detentos utilizaram um Fiat Siena, de um dos agentes, para fugir. Eles também levaram armamentos e munições. Este veículo foi encontrado abandonado na cidade de Itanhangá (210 quilômetros de Nova Mutum). Eles deixaram no carro algumas pistolas, levadas da cadeia. Policiais buscam pistas para identificar se eles entraram na mata ou se continuaram fugindo em outro carro.

Leia também:  Cinco hospitais filantrópicos devem receber ajuda emergencial do governo de MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.