As colisões traseiras e engavetamentos representam nas rodovias BR-163/364, 28% do total de acidentes registrados. A falta de atenção, excesso de velocidade e desrespeito a sinalização são as principais causas desse tipo de acidente.

Dados da Concessionária responsável polo trecho apontam que de 1º de janeiro a 31 de julho de 2016 foram registradas 502 colisões traseiras e engavetamentos. Vinte e cinco delas ocorreram em pontos de “Pare e Siga”, embora as interdições contem com ampla sinalização de orientação. O levantamento é relacionado à todas as ocorrências registradas ao longo dos 850,9 quilômetros sob a concessão, dos casos mais simples aos mais graves.

O gerente de Obras da Rota do Oeste, Thales Mariano, diz que todas as interdições em “Pare e Siga” são amplamente sinalizadas e contam com a presença, em ambos os lados, de homem bandeira. “A Concessionária atende a todas as normas de segurança exigidas para garantir a integridade dos usuários, que precisam entender a importância de respeitar a sinalização”, explica. “É extremamente importante que o motorista reduza a velocidade e respeite as orientações das equipes para a sua própria segurança, dos passageiros e dos trabalhadores que estão na pista. O incômodo em atrasar um pouco a viagem não é maior do que se envolver em um acidente.”

Leia também:  Carro de família que voltava de show cai de ponte e professora morre em MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.