Foto: Ilustrativa
Foto: Ilustrativa

Uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde apontou que 31% dos homens brasileiros não tem o hábito de procurar profissionais para saber como está seu estado de saúde, o que auxiliaria na prevenção de doenças e na qualidade de vida.

O órgão ressalta que barreiras socioculturais acabam atrapalhando na prevenção à saúde. Em muitos casos, os homens acreditam que não ficam doente ou têm medo de descobrir alguma doença, além de achar que esse cuidado poderá intervir na sua imagem com a família.

Segundo a pesquisa, 55% dos homens responderam que não buscam os serviços de saúde porque não precisam. Essa falta de cuidado, segundo o Ministério da Saúde, traz uma consequência para os homens: eles morrem mais cedo do que as mulheres e de doenças que poderiam ser prevenidas, tais como cânceres, infartos, acidentes vasculares, doenças do aparelho digestivo.

Leia também:  Você sabe o que é amigdalite ? Saiba quais são os sintomas e o tratamento

“Saúde é importante para que os homens participem ativamente das atividades familiares. Nossa chamada é para que os pais procurem os serviços e recebam orientações para cuidar de sua saúde e prevenir doenças, como manter as vacinas em dia. Filhos, lembrem seus pais de cuidar regularmente da saúde. Esse será o melhor presente para toda a família”, afirmou o ministro da Saúde, Ricardo Barros, por meio de nota divulgada nesta semana.

O levantamento foi feito em 2015 por meio de telefone com mais de seis mil homens cujas as parceiras fizeram parto pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O estudo mostrou que apesar do pré-natal ser o momento que o homem está mais próximo dos serviços de saúde, as consultas e os exames, boa parte não realizou nenhum procedimento.

Leia também:  Chocolate turbina seu cérebro e sua memória, diz estudo

Quase 84,6% dos pais disseram não realizaram nenhum exame durante o pré-natal.

Dentre os participantes, 80% tinham entre 20 e 39 anos e 67,3% afirmaram ter renda entre 1 e 2 salários mínimos. Quase metade (49%) relataram que são casados e apenas 36,9% possuíam nível médio completo

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.