sintepEm assembleia geral, os profissionais da educação da rede estadual de Mato Grosso decidiram suspender a greve com manutenção do estado de greve. A deliberação ocorreu nesta sexta-feira (05), em Cuiabá. A previsão que as aulas sejam retomadas a partir desta segunda-feira (8).

A decisão foi avaliada pelos servidores como vitoriosa já que a luta partiu do ponto zero nas três pautas de reivindicação e a categoria conquistou o calendário de concurso público, assegurou a política da dobra do poder de compra dos salários dos profissionais da educação, que já havia sido perdida com a aprovação da Lei da RGA na Assembleia Legislativa, e a realização de conferências participativas para deliberar sobre as PPP’s.

Leia também:  Preço do leite pago ao produtor sofre variação e cai em MT

O presidente do Sintep-MT, Henrique Lopes do Nascimento, lembra que a fala do Governo era de que não garantiria a reposição, pois seria uma irresponsabilidade aplicá-la diante de um cenário de crise econômica. Quanto a pauta do concurso público, o argumento era de que seria feito apenas para a polícia, já que para educação poderia contratar. E ainda, que resolveria o problema do limite prudencial a partir das PPP’s, ou privatização das escolas.

“Agora vamos acompanhar o cumprimento daquilo que foi estabelecido nas negociações para ter garantido na comissão paritária os encaminhamento pendentes, ou seja, definição das vagas do Concurso Público, calendário das conferências e ainda, acompanhamento com a presença do Ministério Público Estadual do cumprimento da pauta econômica (Lei 510/13)”, disse.

Leia também:  Detentos da penitenciária de Cuiabá cria grupo em WhatsApp para combinar crimes

Nas diversas falas dos oradores, durante a Assembleia, foi destacado que o movimento encerrada a batalha mais não terminada a luta. “A mobilização contou com a persistência da categoria que desde a greve unificada acampou no Centro Político Administrativo, tencionando o Governo com foco em assegurar as conquistas”, destaca Nascimento. E mais, o presidente destacou o relevante papel do Ministério Público nas negociações, na pessoa do promotor Henrique Schneider Neto. “Foi fundamental na mediação do impasse”, disse.

Agora com as aulas retornando a partir segunda-feira (08), o Sintep-MT faz o encaminhamento para que se garanta o calendário de reposição, respeitando a autonomia das escolas e assegurando às 800 horas e os 200 dias letivos mínimos.

A Assembleia reuniu cerca de três mil pessoas, representando mais de 80 municípios. Estiveram presentes ainda, o movimento estudantil, por meio da Associação Mato-grossense dos Estudantes Secundaristas (AME) e a Central Única dos Trabalhadores de Mato Grosso (CUT-MT), com o presidente João Dourado.

Leia também:  Mais de 5 mil espécies de rosa do deserto podem ser adquiridas em feira em Cuiabá
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.