Três pessoas acusadas de prostituição infantil tiveram mandados de prisão cumpridos pela Polícia Judiciária Civil, nesta quarta-feira (24), após terem o esquema descoberto em investigações da Delegacia de Campo Novo do Parecis (657 Km de Rondonópolis). O esquema, envolvendo a mãe de uma menor de 14 anos e dois idosos de alto poder aquisitivo acontecia há mais de 2 anos.

A mãe da vítima, de 36 anos, teve a ordem de prisão decretada pelo crime submeter criança ou adolescente a prostituição com objetivo de lucro, agravado pela relação de parentesco. O dono de um cartório e empresário de São José do Rio Claro (315 a Nordeste), de 84 anos, e um fazendeiro de Campo Novo do Parecis, de 74 anos, responderão por estupro de vulnerável.

Leia também:  Carro capota depois de ser atingido por veículo em cruzamento no centro de Rondonópolis

As prisões dos suspeitos foram realizadas, na quarta-feira (24), e contaram com apoio da equipe da Polícia Civil de São José do Rio Claro.

As investigações da Delegacia de Campo Novo do Parecis iniciaram, no início do mês de agosto, quando a vítima, de 14 anos, procurou o Conselho Tutelar, com objetivo de denunciar a própria mãe. Segundo a adolescente, a mãe passou a ameaçá-la quando ela disse que não queria mais participar do esquema, no qual ela tinha que manter relações com os idosos.

De acordo o delegado, Adil Pinheiro de Paula, a mãe prostituía a adolescente com os dois homens, em troca de dinheiro. Durante as investigações, foi constatado que os encontros com o empresário de São José do Rio Claro aconteciam em um hotel Cuiabá, onde a mãe, o suspeito e a vítima se passavam por marido, mulher e enteada.

Leia também:  Polícia apreende 400 pares de tênis falsificados dentro de loja

Entre os presentes recebidos em troca dos encontros, o empresário pagou pela festa de aniversário de menor e deu uma motocicleta para a mãe da menina. Os encontros com o fazendeiro de Campo Novo dos Parecis aconteciam semanalmente em um motel da cidade e também eram realizados em troca de dinheiro.

“Além de receber dinheiro a cada encontro, a mãe e filha eram sustentadas com um alto padrão de vida, ganhando quantias mensais, e outros benefícios, como compras em shoppings e cartões de crédito dos suspeitos”, disse o delegado.

Com base nas investigações da Polícia Civil que descobriram o esquema, as ordens judiciais foram decretadas pela Justiça, após representação do delegado. As prisões foram cumpridas, na quarta-feira (24), sendo a mãe da vítima e o fazendeiro presos em Campo Novo dos Parecis. O terceiro mandado contra o dono de um cartório foi cumprido no município de São José do Rio Claro, com apoio da equipe de Polícia Civil do município.

Leia também:  Acusado de dirigir embriagado sofre acidente, paga fiança e é liberado
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.