Uma corrente de solidariedade foi formada nesta quinta-feira (18) na Itália para apoiar o pequeno egípcio de 13 anos que cruzou sozinho o Mediterrâneo a bordo de uma embarcação de migrantes em busca de um médico para seu irmão gravemente doente.

Foto: Reprodução/Rai TV
Foto: Reprodução/Rai TV

A história de Ahmed, um adolescente que viajou para a ilha de Lampedusa em uma barcaça com o objetivo de encontrar um médico na Europa para salvar o irmão que sofre de uma doença sanguínea rara, comoveu a Itália.
Ao chegar às costas italianas, o menino pediu ajuda às autoridades mostrando um atestado médico confirmando a doença grave que afeta o irmão menor, que está no Egito.

Dois dias após a publicação da epopeia do chamado “pequeno herói de Lampedusa”, a imprensa italiana disse que o hospital Careggi de Florença, na Toscana, ofereceu-se para acolher e cuidar do irmão de Ahmed, de sete anos de idade.

Leia também:  Cerca de 140 membros de facção criminosa são presos em festa de casamento na China

De acordo com o jornal Il Corriere della Sera, a história da criança migrante comoveu o primeiro-ministro Matteo Renzi, ex-prefeito de Florença, que pediu para as autoridades da cidade para ajudar a criança.
Uma ponte aérea está sendo organizada para transportar a criança doente e sua família para a Itália, enquanto o jovem Ahmed será alojado em um centro de acolhimento para crianças migrantes não acompanhadas perto de Florença, informou o jornal.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.