Reprodução
Reprodução

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou nesta terça-feira (20) a suspensão da venda por 90 dias dos antibióticos em comprimidos compostos por amoxicilina e clavulanato de potássio (nas dosagens de 875 mg + 125 mg) dos fabricantes EMS, Germed e Legrand.

O motivo da interdição cautelar é o fato de que esses produtos vêm sendo fabricados sem os estudos de bioequivalência exigidos na regulamentação vigente.
Os estudos de bioequivalência servem para demonstrar que são equivalentes produtos apresentados sob a mesma forma farmacêutica, com idêntica composição qualitativa e quantitativa de princípios ativos, e que tenham biodisponibilidade (velocidade e a extensão de absorção de um princípio ativo) comparável.
EMS, Legrand e Germed integram o mesmo grupo. Consultada pelo G1, sua assessoria de imprensa assegurou que “esses medicamentos, atualmente no mercado, são absolutamente seguros e eficazes, cumprindo com os mais altos padrões de qualidade”.
Veja abaixo a lista de produtos interditados:
– Amoxicilina + clavulanato de potássio comprimidos 875 mg + 125 mg (registro 105830516) e Policlavumoxil bd (amoxicilina + clavulanato de potássio, comprimidos 875 mg + 125 mg – registro 102351146) da Germed Farmacêutica.
– Amoxicilina + clavulanato de potássio comprimidos 875 mg + 125 mg (registro 167730075) da Legrand Pharma.
– Amoxicilina + clavulanato de potássio comprimidos 875 mg + 125 mg (registro 102350845) da EMS.

Leia também:  Elevador de hotel luxuoso no RJ despenca e deixa turistas feridos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.