A greve nos bancos completa hoje 16 dias e não tem data para terminar. O Sindicato dos Bancários em Mato Grosso informou, ao Só Notícias, que a adesão está aumentando. Em Lucas do Rio Verde e Sorriso, os funcionários de todas as unidades aderiram.

“São cerca de 20 agências nas duas cidades onde trabalham aproximadamente 400 pessoas”, explicou o diretor regional, Marcos Saltarelli.

Ele acrescentou que em Sinop a paralisação é nas 13 agências que, juntas, têm 350 profissionais. A nível nacional o sindicato aponta que 56% dos bancários aderiram. A maior parte dos serviços deixou de ser feita com a greve.

“Tem agência operando com 30% do efetivo. Quando é feito depósito nas máquinas, por exemplo, eles fazem conferência e liberaram para compensação (creditar na conta do cliente). Também estão sendo atendidos os aposentados. Os caixas eletrônicos continuam sendo abastecidos diariamente para saques”, explicou o diretor, acrescentando que muitos clientes têm feito movimentações pela internet – pagamentos de boletos, transferências e outras operações.

Leia também:  Faixas de pedestres em 3D são criadas para 'forçar' parada de motoristas em Primavera

Mas quem não opera pela internet enfrenta muitos transtornos com a greve. “Os bancos não querem nem conceder reposição para os funcionários. Não há informações da federação dos bancos com o sindicato para encaminhar novo acordo e, com isso, não há previsão da paralisação terminar”, acrescenta Saltarelli.

A categoria cobra dos bancos que seja repassado percentual da inflação 9,5% e 5% de aumento real. “A federação propôs 7% e R$ 3.300 para cada bancário como abono. Não queremos abono porque não agrega no salário e é tributado”, expôs.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.