Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgou na última sexta-feira (23) dados com relação aos casos de dengue e zika vírus. Com relação a 1ª doença, foi verificado que entre janeiro e julho deste ano, Mato Grosso apresentou 803 casos de dengue por 100 mil habitantes, o que é considerado alta incidência da doença.

Segundo a SES, o zika vírus também demonstrou alta incidência, com 746 casos por 100 mil habitantes. Já a febre chikungunya foi considerado de baixa incidência, com 43  casos por 100 mil habitantes.

Ao todo, foram notificados 26.219 casos de dengue, 24.363 de zika vírus e 1.401 de febre chikungunya. Em comparação ao mesmo período do ano passado, a dengue teve aumento de 11%, o zika de 162% e a chikungunya de 332%.

Leia também:  Conheça 8 tipos de sal e aprenda a usá-los

Óbitos por dengue
A comissão de investigação de óbitos do programa da dengue vem acompanhando 44 casos, sendo 14 suspeitos de óbitos por dengue. Cinco foram confirmados até o momento.

Chikunguya
A quantidade de municípios silenciosos para chikungunya diminuiu de 73 para 72 cidades. Três delas representam incidência acumulada que as classificam como alto risco: Acorizal, Querência e Campo Novo do Parecis. Os municípios da Regional São Félix do Araguaia não apresentam casos de febre chikungunya.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) alerta para o “período não epidêmico”. As ações de mobilização, comunicação, e educação em saúde são fundamentais para a mudança de comportamento e adoção de práticas para a manutenção do ambiente domiciliar e evitam a infestação por Aedes Aegypti.

Leia também:  Criança com HIV não tem mais sinais do vírus mesmo sem remédios
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.