O supertufão Meranti causou pelo menos sete mortes e deixou nove desaparecidos na província de Fujian, na China, antes de ser rebaixado nesta sexta-feira (16) para tempestade tropical, anunciou o governo local.
As vítimas da China se somam a um morto e aos 51 feridos que o Meranti, tufão mais forte do ano no mundo, deixou em sua passagem por Taiwan, antes de chegar a Xiamen (Fujian) na madrugada de quinta (15).

Em Fujian, a província mais afetada por ser onde o supertufão tocou a terra na madrugada da quinta, o Meranti provocou o realojamento de 331 mil pessoas, destruiu 1,6 mil casas, danificou 22,2 mil hectares de plantações e causou perdas econômicas diretas de aproximadamente US$ 249 milhões.

Leia também:  Marinha da Argentina cessa as buscas por 44 pessoas desaparecidas em submarino
Foto: Reuters
Foto: Reuters

O Ministério de Assuntos Civis da China e a Comissão Nacional para a Redução de Desastres do país desdobraram equipes de trabalho para avaliar os danos e ajudar nos trabalhos de resgate.
Enquanto isso, as autoridades chinesas se esforçam em reparar os problemas de eletricidade e água em algumas zonas de Xiamen, onde houve um blecaute total na madrugada da quinta.

O abastecimento de água já foi reparado em quase toda a cidade, enquanto milhares de trabalhadores tentam restaurar três torres elétricas que foram abaladas pelos fortes ventos, de acordo ao governo local.
O Centro Meteorológico Nacional emitiu um alerta azul, a mais baixa em gravidade de uma escala de quatro cores.
Sem ainda se recuperar da passagem do Meranti, Taiwan agora está em alerta pela chegada do tufão Malakas, de menor potência e que deve atingir sobretudo aos condados de Hualien e Taitung, informou hoje a agência meteorológica da ilha.

Leia também:  Homem agride cruelmente duas mulheres com golpes de martelo na França
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.