Um ‘Ganha Tempo’ adequado, um estacionamento com cinco pisos, uma creche para 100 crianças, um restaurante, uma nova Escola do Legislativo e uma sala para atendimento de autoridades constam no projeto de ampliação do prédio da Assembleia Legislativa, cuja construção está prevista para iniciar ainda este ano. A notícia foi dada pelo primeiro-secretário da Casa de Leis, deputado Ondanir Bortolini (PSD), Nininho, em entrevista coletiva na última quinta-feira (01).

O parlamentar explicou que a obra atende a uma série de demandas da ALMT e prevê soluções para situações vindouras. A parte da construção que recebeu maior destaque do parlamentar foi o estacionamento. Ele explicou que, em dias de grande fluxo, como às quartas-feiras, são necessárias de 600 a 700 vagas para veículos. Lembrou que o estacionamento que fica do outro lado da rua é do governo, que “tem o desejo de construir um novo Palácio (Paiaguás), que seria nesta área”, com a criação do Parque das Águas. No projeto arquitetônico do Legislativo, o estacionamento terá cinco andares.

Leia também:  Deputados aprovam parcelamento obrigatório do seguro DPVAT

A obra “foi apresentada no Colégio de Líderes, tem projeto elaborado, foi analisada pelos órgãos competentes e está em fase final de licitação”, contextualiza o deputado, que avalia que a ampliação “vem para melhorar ainda mais a estrutura e garantir conforto aos servidores”.

A ideia primordial, entretanto, é ofertar uma série de serviços ao cidadão, hoje prestados no Espaço Cidadania, em um ambiente adequado, que Nininho chamou de outro ‘Ganha Tempo’.

Consta no projeto que a nova Escola do Legislativo, em parceria com a Unemat, poderá oferecer cursos superiores a funcionários da AL a baixo custo, “já que a Casa dará a contrapartida do espaço, energia e água”. Completam a obra uma creche, uma sala Vip (do inglês Very Important Person) e um novo restaurante.

Leia também:  Pátio muda estilo e "dizima" oposição na Câmara

Nininho destaca que os trabalhos começarão a ser executados ainda em 2016, com custo em torno de R$ 60 milhões – recurso que garantiu que a Assembleia terá graças às ações de economia. “Isso é mérito desta gestão, que a fez de forma diferenciada”, defende.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.