Foto: assessoria
Foto: assessoria

O senador José Medeiros (PSD-MT) e o chefe do Gabinete de Articulação e Desenvolvimento Regional do Governo de Mato Grosso, Antônio Figueiredo Paz, reuniram-se nesta terça-feira (3) com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, e cobraram a liberação de R$ 500 mil, já empenhados, que chegariam aos cofres do estado para serem usados em pesquisas de cunho socioambiental na faixa da fronteira dentro do Plano de Desenvolvimento Regional – PDR. Barbalho garantiu que já solicitou ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a elevação do teto de seus recursos discricionários para conseguir efetivar o pagamento.

Para Medeiros, Mato Grosso precisa cada vez mais interiorizar também o seu desenvolvimento, até para que o estado consiga crescer homogeneamente. “Realmente estamos falando de um rico estado pobre. Uma unidade da federação que salva nossa balança comercial, fundamental nas exportações do país, mas que carece de infraestrutura básica, tendo, por exemplo, cidades importantes com sinal de internet móvel quase nulo e sinal de torre para ligações praticamente inexistentes também. A questão social ainda é pior. Temos ainda graves problemas a vencer, como o caso do analfabetismo que ainda tem uma taxa alta para um estado tão forte. Investimentos como este, que norteiam as políticas públicas, são fundamentais para um processo planejado de evolução”, disse o senador.

Leia também:  Podemos pode lançar candidatos na região

Já Antônio Carlos disse que é preciso entender o momento de contingenciamento, no entanto, é preciso seguir lutando. “Este recurso foi empenhado em maio e é a primeira parcela de três, ou seja, aguardamos um total de R$ 1,5 milhão. Temos que fazer nossa parte que é vir até o ministro e falar sobre o nosso projeto que realmente será fundamental para mudar a vida de muita gente em Mato Grosso”, argumentou. Para a execução do projeto, a Fundação Universidade Federal de Mato Grosso participa de um termo de cooperação técnica com o Governo do Estado e fará a elaboração do PDR. O planejamento prevê a formatação de cinco planos para atender o Vale do Guaporé, Complexo Nascentes do Pantanal, Alto do Rio Paraguai, Vale do Rio Cuiabá e Consórcio Médio Araguaia.

Leia também:  Vereador Thiago Silva reivindica a expansão de cursos da Unemat em Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.