Foto: Reprodução/TV TEM
Foto: Reprodução/TV TEM

A mulher de 28 anos, que precisou de atendimento médico após fazer uma escova progressiva em São José do Rio Preto (SP), diz que já havia passado pelo procedimento em outra ocasião, mas que desta vez teve reação alérgica e sentiu medo de ficar cega. “Tive medo de ficar cega, de perder a vista porque meu olho não abria, minha testa estava muito grande e eu até precisei de ajuda para poder andar. A médica legista disse que como agora já estou abrindo o olho não tem perigo. Só que não estou podendo trabalhar, estou perdendo dia de faxina”, diz a faxineira Andreza Cristina Fernanda de Souza.

Leia também:  Locais de prova do Enade já estão disponíveis para consulta

Ela conta que voltou ao salão de beleza onde fez o procedimento na terça-feira (25) e a cabeleireira lavou o cabelo dela e lhe deu dinheiro para pegar ônibus e resolver as questões referentes à alergia.
“Ela meu deu R$ 20 para pegar ônibus e correr atrás das coisas. Eu já tinha feito no salão dela, mas desta vez exageraram no formol”, afirma.

Foto: Reprodução/TV TEM
Foto: Reprodução/TV TEM

A TV TEM conversou com um dos donos do local onde ela fez o procedimento e ele disse que o produto usado na progressiva da faxineira tinha formol, mas em uma quantidade mínima, autorizada pela Vigilância Sanitária.
O empresário disse ainda que os funcionários sempre fazem teste em uma pequena mecha de cabelo para ver se a pessoa tem reação alérgica, que isso foi feito com a faxineira e no dia ela não apresentou reação.
Andreza diz que tinha o cabelo curto e enrolado antes de passar pelo procedimento. “Tinha o cabelo bem curtinho e enroladinho. Fui fazer relaxamento e escova progressiva junto, no mesmo dia e hora, no sábado (22), porque na quarta-feira (26) tenho audiência da minha filha e queria deixar minha aparência, transformar.”

Leia também:  Por desvio de R$ 200 milhões, 3 prefeitos da Bahia são afastados

Ela relata que no domingo (23) já amanheceu com a testa brilhando e que ao tomar banho, quando a água escorria, os olhos ardiam. “No domingo ficou sem inchar nem nada, mas quando acordei na segunda-feira (24) começou a inchar e eu não conseguia trabalhar porque meu olho estava totalmente fechado”, conta.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.