Bom dia, boa tarde, boa noite, boa madrugada, meus queridos leitores, nessa semana triste e sangrenta, gostaria de falar com vocês de coisas menos tristes, mas infelizmente, tapar o sol com a peneira, só faz queimar os olhos.

Essa coluna vem alertando e dando aos senhores, uma série de truques para não serem vítimas de violência na nossa região.

Graças ao meu trabalho eu viajo muito, e posso dizer que Rondonópolis é uma cidade muito violenta, só esse ano já foram mais de 60 mortes por arma de fogo ou mortes violentas na cidade uma média de uma morte pra cada três mil e seiscentas pessoas(estou citando os números de memória).

Como os senhores são muito importante para nós, algumas colunas atrás ensinamos os senhores a não serem assaltados, ou sofrerem violência na rua, acreditem, seguindo aquele manual, as chances dos senhores sofrerem qualquer tipo de violência cai em mais de 90%.

Leia também:  Direito Prático, saiba 7 coisas óbvias para evitar a burocracia | Entendendo Direito

Mas agora que a violência chegou a um nível insuportável, com a morte do padre e quadrilhas querendo instalar o terror aqui, penso que é a hora de ensinar os senhores a matar.

Aqui o que ensinaremos deve ser usado em favor da defesa da família, já do patrimônio não precisa tanto.

Primeiro vamos entender como funciona o homicídio no Direito, matar é normalmente uma coisa ruim, que faz mal a sociedade, por isso é chamado tipo proibitivo no Direito Penal, mas em alguns casos só não é tolerável como é preferível, são as chamadas causas de justificação.

O homicídio é tratado no  artigo 121 do código penal:

“Art. 121. Matar alguém:

Pena – reclusão, de seis a vinte anos.”

Nisso também pode acontecer casos de diminuição de pena, que estão descritos no mesmo artigo.

  • 1º Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social ou moral, ou sob o domínio de violenta emoção, logo em seguida a injusta provocação da vítima, o juiz pode reduzir a pena de um sexto a um terço.
Leia também:  É impossível cumprir as 5 milhões de leis do Brasil | Entendendo Direito

Ok, sabemos exatamente o preço de uma vida para o Sistema Penal Brasileiro, mas como sair do apenamento (ser condenado) para matar o agressor salvar sua família e não ser apenado (ir pra cadeia)?

São várias as causas justificadoras,(que fazem matar deixar de ser crime) legítima defesa, estado de necessidade, estrito cumprimento do dever legal.

Quando a polícia agora nessa semana, durante um confronto com a quadrilha que veio roubar o banco, eles mataram, mas com uma causa justificadora no caso, o estrito cumprimento do dever legal.

O estado de necessidade seria quando você mata alguém para salvar-se como aquele que mata o outro em um naufrágio para pegar a única boia salva vidas, não nos interessa tanto.

Leia também:  Moro Persegue Lula | Entendendo Direito

Agora o que vai permitir os senhores matarem os agressores da sua família é a legítima defesa.

De duas formas, pelo uso das potencialidades agressiva de certos aparelhos, engenhos, cães ferozes e mesmo armadilhas instaladas em sua casa, ou qualquer lugar para proteger a família (para proteger o patrimônio o juiz vai condenar você se o bandido vier a ser morto por uma dessas ferramentas).

A Legítima defesa é colocada assim no artigo 25 do código penal:

Art. 25 – Entende-se em legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem.

Pronto agora os senhores sabem exatamente seu direito de vida e morte sobre esses malditos vagabundos que estão querendo tirar a paz da nossa família.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.