A mulher que ajudou a socorrer a garota de 14 anos que foi torturada por quatro adolescentes diz que assistia a um programa de televisão quando foi surpreendida pelos gritos da vítima em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia. Ela olhou pelo muro e viu a menor machucada. A vítima estava sozinha porque as agressoras tinham ido lavar as mãos.
“Minha filha ajudou ela a pular o muro. Coloquei ela para dentro e tranquei as portas porque não sabia se tinha alguém atrás. A minha intenção foi ajudar. Mandei minha menina chamar a mãe dela na casa dela”, declarou a mulher, que prefere não ser identificada. Em seguida, a adolescente foi levada de carro para um hospital.
Quatro adolescentes, com idades entre 13 e 16 anos, foram apreendidas suspeitas de cometer o ato infracional. O caso foi filmado por uma das autoras (veja vídeo acima). Todas as envolvidas se conhecem e estudam na mesma escola.

Leia também:  Padre é preso em flagrante armazenando material pornográfico e vídeos de menores
Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Foto: Reprodução/TV Anhanguera

A testemunha conta que se assustou com a agressão. “Nossa, a gente fica num susto tremendo. Isso não é coisa que se faça com ninguém. O que tem na cabeça de uma pessoa dessas?”, questiona.
O caso chamou a atenção de alunos e professores da escola em que as envolvidas estudam. Coordenador do turno vespertino do colégio, Guilherme Durans disse que nunca imaginou uma atitude como essa por parte das estudantes.

A menina foi atraída para a casa de uma das suspeitas na última quinta-feira (29) sob o pretexto que haveria uma festa no local. Ao chegar, ela foi esfaqueada e agredida com pedaço de pau e um facão em uma sessão de tortura que durou quase 4 horas.
Até mesmo uma cova foi feita ano quintal da casa para que a menina fosse sepultada. “Elas começaram a me bater, me amarraram, me mostraram onde eu iria ser enterrada. Nisso, me deram uma facada e me colocaram na cova. Pensava só que eu ia morrer”, contou a vítima.

Leia também:  MEC vai apoiar formação de professores para educação de surdos, diz ministro
Foto: Reprodução/ TV Anhanguera
Foto: Reprodução/ TV Anhanguera

Segundo a delegada Renata Vieira, responsável pelo caso, a vítima estava contando com a ajuda do ex-namorado de uma das suspeitas para organizar sua festa de 15 anos. O fato teria provocado ciúmes e culminado com a tortura.
“As menores afirmaram que a vítima ficou com esse rapaz. Esse seria o principal motivo. Elas eram colegas de escola, e uma delas a conhecia há pelo menos dez anos”

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.