Uma bebê de 11 meses teve parte do rosto queimado dentro da Casa da Criança de Santos, no litoral de São Paulo, na última quinta-feira (13). De acordo com a garçonete Thalita Garcia Sotelo, de 26 anos, mãe da menina, o médico que atendeu a criança confirmou que se trata de uma queimadura. Porém, ainda não se sabe o que causou o ferimento.

Reprodução/ Facebook
Reprodução/ Facebook

Quando chegou à creche, Thalita questionou as quatro professoras que cuidavam da menina sobre o ferimento. Elas informaram que Valentina havia sido empurrada por um amiguinho de um brinquedo e batido a boca. A mulher levou a filha a um pronto-socorro da cidade, onde foi constatado que ela havia sofrido uma queimadura de 2º grau.

Leia também:  Bebê de dois dias está preso dentro de carceragem junto com a mãe

Naquele dia, as quatro professoras se dividiam entre os cuidados de oito crianças. Normalmente, são 18 bebês na sala, mas, como era o dia seguinte ao Dia das Crianças, alguns alunos faltaram.

Segundo Thalita, ela procurou a direção da creche para saber o que de fato tinha acontecido, mas não obteve sucesso. As professoras deram três versões diferentes. Elas haviam sido contratadas há poucos meses.

— No início, as professoras falaram a mesma história e que colocaram gelo na ferida. Só que o médico disse que é impossível [aquela] queimadura ser de gelo. Depois, falaram que ela estava dormindo e acordou daquele jeito. Depois, falaram que era picada de bicho.

Leia também:  Enade 2017 acontece neste domingo

A diretora da creche demitiu as quatro professoras após o ocorrido. Mesmo assim, Thalita tem medo de deixar a filha novamente na instituição. Desde sexta-feira (14), Valentina está sob cuidados do avô e da tia. Agora, a garçonete, que é mãe de quatro crianças, procura vaga em outra escola.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.