Na 1ª Classe Profissional, Julio Benegas lidera o ranking com 300 pontos conquistados em dois torneios do Circuito Estadual de Tênis. Foi campeão da 8ª etapa ao vencer Robson Nunes por dois sets a zero e parciais de 6/4 e 7/6. E foi vice-campeão da 11ª etapa ao perder para Mathaus Spiering por dois sets a um e parciais de 3/6, 7/6 e 4/10. Depois Robson Nunes em 2º com 290 pontos, Mathaus Spiering com 230, Ariovaldo Custódio com 180 e Emerson Gonçalves com 130.

Ariovaldo Custódio está na 4ª posição do ranking da 1ª Classe Pro, mas só participou de um dos torneios. Ele disputou a 13ª etapa e venceu a final contra Robson Nunes por dois sets a zero e parciais de 6/1 e 6/4. Segundo ele, ficou parado por nove meses por conta de uma lesão na lombar. Tulinho, como Ariovaldo é chamado pelos amigos, garante que voltou para vencer. No entanto, no próximo torneio também terá que enfrentar um ás do saibro, Marvin Spiering.

Leia também:  Luverdense perde do Inter com gol polêmico no final

Classes

Rivaldo Barbosa e Mário Meira lideram a 1ª Classe com 690 e 520 pontos, respectivamente. Teófilo Barros Junior e Flávio Muller lideram a 1ª Classe Acima (para tenistas acima de 34 anos) com 780 e 670 pontos. Os irmãos Igor Gabriel Lima e Alef Rodrigo Lima lideram a 2ª Classe com 480 e 430 pontos. Mateus Sampaio e Antônio Palma lideram a 2ª Classe Acima (para tenistas acima de 34 anos). Joilson Borges e Rogério Margutti lideram a 3ª Classe. Evando Merízio e Vinícius Barrosi lideram a 4ª Classe. Luis Henrique Santos e Danilo Baldini lideram a 5ª Classe.

Classe Feminina

Maria do Carmo Mendes e Maralice Lopes lideram o ranking da 1ª Classe Feminina com 710 e 640 pontos, respectivamente. Seguidas por Taila Urizes com 300 pontos, Juliana Duarte com 200, Elen Zavitoski com 180, Prycila Fagundes com 180, Graciela Nebelung com 130 e Alcione Gomes com 120. Maralice Lopes foi campeão da última etapa do Circuito Estadual ao superar Isabella Nogueira por parciais de 6/4 e 6/1. E a estreante Prycila Fagundes levou a etapa anterior.

Leia também:  Brasileira leva ouro em natação e se torna a 1° campeã mundial do país

“Não deixaria de participar de um torneio desse tamanho. Tenho treinado em média quatro vezes por semana, entre segunda e sexta. E nos finais de semana jogo um pouco mais. Treino bastante a troca de bolas no fundo da quadra. Pois percebi que as tenistas estão bastante regulares nesse sentido. Ficam trocando bolas por longos períodos até o adversário errar. E também tenho tentado melhorar a precisão do meu saque”, comenta Maria do Carmo Mendes.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.