Na 1ª Classe Profissional, Julio Benegas lidera o ranking com 300 pontos conquistados em dois torneios do Circuito Estadual de Tênis. Foi campeão da 8ª etapa ao vencer Robson Nunes por dois sets a zero e parciais de 6/4 e 7/6. E foi vice-campeão da 11ª etapa ao perder para Mathaus Spiering por dois sets a um e parciais de 3/6, 7/6 e 4/10. Depois Robson Nunes em 2º com 290 pontos, Mathaus Spiering com 230, Ariovaldo Custódio com 180 e Emerson Gonçalves com 130.

Ariovaldo Custódio está na 4ª posição do ranking da 1ª Classe Pro, mas só participou de um dos torneios. Ele disputou a 13ª etapa e venceu a final contra Robson Nunes por dois sets a zero e parciais de 6/1 e 6/4. Segundo ele, ficou parado por nove meses por conta de uma lesão na lombar. Tulinho, como Ariovaldo é chamado pelos amigos, garante que voltou para vencer. No entanto, no próximo torneio também terá que enfrentar um ás do saibro, Marvin Spiering.

Leia também:  Corinthians vence o Fluminense de virada e se torna campeão brasileiro pela sétima vez

Classes

Rivaldo Barbosa e Mário Meira lideram a 1ª Classe com 690 e 520 pontos, respectivamente. Teófilo Barros Junior e Flávio Muller lideram a 1ª Classe Acima (para tenistas acima de 34 anos) com 780 e 670 pontos. Os irmãos Igor Gabriel Lima e Alef Rodrigo Lima lideram a 2ª Classe com 480 e 430 pontos. Mateus Sampaio e Antônio Palma lideram a 2ª Classe Acima (para tenistas acima de 34 anos). Joilson Borges e Rogério Margutti lideram a 3ª Classe. Evando Merízio e Vinícius Barrosi lideram a 4ª Classe. Luis Henrique Santos e Danilo Baldini lideram a 5ª Classe.

Classe Feminina

Maria do Carmo Mendes e Maralice Lopes lideram o ranking da 1ª Classe Feminina com 710 e 640 pontos, respectivamente. Seguidas por Taila Urizes com 300 pontos, Juliana Duarte com 200, Elen Zavitoski com 180, Prycila Fagundes com 180, Graciela Nebelung com 130 e Alcione Gomes com 120. Maralice Lopes foi campeão da última etapa do Circuito Estadual ao superar Isabella Nogueira por parciais de 6/4 e 6/1. E a estreante Prycila Fagundes levou a etapa anterior.

Leia também:  Times de Mato Grosso vão mal na rodada de final de semana

“Não deixaria de participar de um torneio desse tamanho. Tenho treinado em média quatro vezes por semana, entre segunda e sexta. E nos finais de semana jogo um pouco mais. Treino bastante a troca de bolas no fundo da quadra. Pois percebi que as tenistas estão bastante regulares nesse sentido. Ficam trocando bolas por longos períodos até o adversário errar. E também tenho tentado melhorar a precisão do meu saque”, comenta Maria do Carmo Mendes.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.