Imagem: ìndios em Alta Floresta
Um dos funcionários conversa com os índios – Foto: Fabiana Damasceno / AGORA MT

Índios da etnia Kayabis da aldeia Kururuzinho, localizada em Jacareacanga no Pará, estão impedindo que uma engenheira da Usina Hidrelétrica (UHE) Teles Pires e dois encarregados da Construtora Alliance deixem o local. Os líderes da aldeia dizem que só soltarão os funcionários quando os responsáveis das empresas estiverem no local.

Imagem: ENGENHEIRA INDIO1
Engenheira teve o corpo pintado pelos Índios – Foto: Fabiana Damasceno / AGORA MT

A Alliance Construtora é uma empresa terceirizada da UHE Teles Pires, e é responsável pela construção das obras que fazem parte das medidas de compensação devido à instalação da usina na região.

Segundo informações de uma professora que trabalha na aldeia e acompanha o caso, os índios estão irritados por essas obras ainda não terem sido concluídas e querem uma resposta.

Leia também:  Trabalhadores da educação fazem paralisação por reajuste e reforma de unidades em Cuiabá

A Companhia Hidrelétrica Teles Pires (CHTP) informou que na manhã de ontem (24) que a funcionária da usina e os funcionários da Alliance, que trabalhavam em uma obra na aldeia foram impedidos de deixar a Kururuzinho. A usina informa também que já está tentando contato com os indígenas e com os órgãos governamentais para a rápida solução do caso.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.