Imagem: Medeiros
Foto: assessoria

O senador José Medeiros (PSD-MT), ao destacar a posse do deputado Roberto Freire, como o novo ministro da Cultura, fez uma homenagem ao político, destacando sua luta pela democracia brasileira. “Roberto Freire é um dos principais políticos brasileiros e sempre foi um político engajado com todos os movimentos de luta pela democracia, pela liberdade, pela cidadania, pela justiça social”, destacou.

Durante discurso nesta quarta-feira (23.11), José Medeiros lembrou que Freire colocou-se em oposição ao governo Lula antes mesmo da revelação dos sucessivos escândalos de corrupção, como mensalão, propinoduto, sanguessugas, entre outros. “Ele deixou quando o PT estava no auge. Ele era Líder do governo Lula aqui, no Senado. Quando ele viu que a viola ia virar caco, nos primeiros sinais, Roberto Freire quebrou os pratos com o PT e abriu fora”, afirmou.

Leia também:  “Apesar do alto investimento, não estamos constatando melhorias na saúde”, diz vereador Silvio Negri

Medeiros citou episódio com Freire em que foi chamado de louco porque fazia criticas ao ex-presidente Lula. “Na minha cidade, certa vez, ele foi e começaram a chamá-lo de louco, porque Lula era um mito. E ele avisava: ‘Esse lulopetismo vai acabar com o Brasil’. Parecia um profeta. Não deveria ser chamado de ministro Roberto Freire, deveria ser chamado de profeta Roberto Freire”, enfatizou.

Segundo o senador, o ministro foi um dos primeiros a reconhecer a falência do modelo socialista. “Na vanguarda do seu tempo, ele também foi um dos primeiros homens públicos a reconhecer o fracasso do modelo socialista, mesmo sendo um histórico do PCB. Então, eu posso dizer que foi uma das melhores escolhas que o presidente Michel Temer poderia fazer e queria deixar aqui o registro desse grande brasileiro chamado Roberto Freire”, declarou.

Leia também:  STF decide enviar denúncia sobre Temer à Câmara
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.