Imagem: José Medeiros
Plenário do Senado Federal durante sessão não deliberativa ordinária.
Senador José Medeiros (PPS-MT) exibe fotografia durante seu discurso.
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O senador José Medeiros (PSD-MT) afirmou que há “tiroteio de desinformação” sobre a medida provisória da reforma do ensino médio e questionou se os estudantes contrários à reforma estão recebendo ou não informações corretas sobre a proposta do governo Temer.

O parlamentar destacou nesta segunda-feira (7) em Plenário que, em 2014, a então presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff defendia mudanças no ensino médio, como redução do número de matérias, atualização de temas de estudo e adoção de uma base curricular para todas as escolas do ensino médio, em moldes semelhantes à proposta encaminhada por Temer.

Segundo José Medeiros, que apresentou áudio de Dilma Rousseff, a ex-presidente propunha exatamente o que está sendo combatido pelo Partido dos Trabalhadores, que se manifesta contra a medida provisória (MPV) 746/2016, da reforma do ensino médio, e a proposta de emenda à Constituição (PEC) 55/2016, que visa limitar os gastos públicos. No caso do ensino médio, Medeiros argumenta que a reforma tem sido debatida há 20 anos.

Leia também:  Projeto que cria o bairro na região da UFMT é aprovado na Câmara Municipal

“O que se está propondo agora é a modernização. Eu pergunto: será que os estudantes estão recebendo as informações corretas? Qual aluno que poderia ser contra a gente modernizar nosso sistema de ensino? Mas estou vendo que o debate está sendo contaminado por outras coisas que não dizem respeito à vontade de termos um sistema de ensino padrão internacional. Estão contaminando com palavras de ordem como ‘Fora Temer’”, afirmou.

Consultor – José Medeiros também disse não entender como alguém pode ser contra a PEC dos Gastos e criticou estudo do consultor do Senado Ronaldo Jorge Araújo, para quem a proposta é inconstitucional. “O parecer não expressa a posição da Consultoria do Senado, mas a posição de um consultor que tem um viés político”, enfatizou o senador.

Leia também:  STF nega anulação de processo e Sachetti admite desvio quando foi prefeito

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.