Imagem: patio bb
Foto: assessoria

Com a notícia de que o Banco do Brasil vai promover uma reestruturação organizacional em Mato Grosso fechando várias unidades, o prefeito eleito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio (SD), se reuniu nesta quinta-feira (24) com o superintendente estadual da instituição, Sotero Sierra Neto, a fim de tentar evitar o fechamento da agência localizada no bairro Vila Operária, no município.

Para Pátio, o fechamento da respectiva agência irá trazer enormes prejuízos a população, já que a unidade bancária fica localizada em um dos maiores bairros de Rondonópolis.

“Com o encerramento da agência mais de 30 mil pessoas serão afetadas porque a região do Vila Operária engloba ainda os bairros Jardim Tropical, Jardim Primavera, Marechal Rondon entre outros. Imagina o transtorno e o prejuízo financeiro para o trabalhador que vai ter que se descolar para outra unidade em outro bairro”, comentou.

Leia também:  Setrat atende indicação de vereador e sinaliza ruas do Jardim Serra Dourada

O prefeito eleito afirmou que saiu satisfeito da reunião. Segundo ele, Sotero garantiu que irá, nos próximos dias, se reunir com diretores do Banco do Brasil, no Rio de Janeiro, para discutir a possibilidade da permanência da referida agência.

“Rondonópolis é a segunda economia do Estado e, apesar da crise econômica que estamos enfrentando, é muito importante que a instituição mantenha a agência aberta porque a unidade realiza diversos serviços bancários e ajuda o desenvolvimento local”, acrescentou.

OBRAS DO CELINA BEZERRA

Ainda na reunião, Pátio também discutiu a viabilização do retorno das obras dos 4 mil apartamentos do conjunto habitacional Celina Bezerra, que estão paradas há mais de um ano.

Leia também:  Por questões éticas advogado se recusa a continuar em defesa de Michel Temer

Ao término da reunião, o prefeito eleito classificou como positivo, já que Sotero sinalizou que as obras devem retornar ainda no início de 2017.

Segundo Pátio, o Banco do Brasil já está regularizando as pendências contratuais das duas empresas responsáveis pela construção do conjunto habitacional, que teve o projeto criado no seu primeiro mandato. “O retorno das obras vai estimular a criação de empregos na cidade. Porém, com o término dos apartamentos cerca de 16 mil pessoas serão beneficiadas com a casa própria”, finalizou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.