Percival Muniz fala sobre a licitação do transporte coletivo em Rondonopollis - Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT
Percival Muniz fala sobre a licitação do transporte coletivo em Rondonópollis – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

O prefeito Percival Muniz (PPS), lançou na manhã desta quarta-feira (09) o edital de licitação para a concessão do serviço de transporte público coletivo de Rondonópolis. Segundo o próprio Muniz, entre estudos e idas e vindas ao legislativo o edital ficou aproximadamente dois anos para ser concluído e chegar a fase de publicação, “A Câmara Municipal quer fazer o papel do Executivo municipal, não podemos fazer alteração no edital, pois se acontecer ele terá que voltar para a aprovação dos vereadores”, reclamou o prefeito.

Apesar da imposição legal feita pelos vereadores, o edital está pronto e traz alguns avanços significativos para uma parcela da população, “Se conseguimos empresas para participar da concorrência e dela sair um vencedor teremos um dos transportes coletivos mais modernos do país”, assegurou Fabrício Miguel, secretário municipal de Trânsito.

Leia também:  Entrega de cestas básicas acontece nesta quarta-feira (19) no bairro Grande Conquista
Aplicativo para PDCs embacarem em ônibus são uma das novidades exigidas no edital - Foto: Ilustração
Aplicativo para PDCs embarcarem em ônibus são uma das novidades exigidas no edital – Foto: Ilustração

Entre as modernidades exigidas no edital está por exemplo, a exigência da empresa vencedora implantar um aplicativo para celular de ajuda as pessoas com deficiência visual. O aplicativo quando acionado pelo pessoa com deficiência (PDC) emite uma mensagem para o motorista do ônibus que ficará sabendo que no ponto de embarque e desembarque indicado pela mensagem haverá um PDC esperando para embarcar. “Essa já é uma experiência bem sucedida em algumas cidades do interior de São Paulo”, revelou Fabrício.

Outras exigências do edital para quem vencer a licitação serão a construção de 150 abrigos para passageiros, três terminais de interligação e 100% da frota com idade média de oito anos e ar-condicionado. De acordo com o prefeito, as alterações no edital preliminar elaborado pelos técnicos da Prefeitura, mas que foram modificadas para a atual versão pelos vereadores, podem causar um impacto financeiro, “Não tenho dúvida que as alterações propostas pelos vereadores vão impactar no valor final da tarifa e apesar de não ter ainda nenhum estudo técnico é quase com certeza que ela vai acabar chegando a R$ 5”, adiantou.

Leia também:  Aeroporto de Rondonópolis pode sair do pacote de privatização

Se não houver nenhum problema durante o processo de licitação a nova empresa deve começar a operar ainda este ano ou no máximo até o início de fevereiro de 2017 em Rondonópolis.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.