Os servidores penitenciários de Mato grosso decidiram em assembleia realizada ontem (17) em frente a Penitenciária Central do Estado (PCE) entrar em greve na próxima segunda-feira (21) até a sexta-feira (25). Estiveram presentes servidores do interior do estado como: Rondonópolis, Sorriso, Tangara da Serra, Cáceres e demais cidades.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários de Mato Grosso, João Batista, as reivindicações são por melhores condições de trabalho, realização do concurso público para aumento de efetivo e pagamento da jornada voluntária. Ele salientou que as ações buscam trazer mais segurança para as unidades já que a falta de efetivo faz com que em algumas unidades do interior apenas dois agentes fiquem responsáveis por até 150 presos, além do fato que o Governo vem adiando a realização de concurso desde dezembro de 2015, conforme compromisso firmado com a categoria.

Leia também:  Governo pagou em três dias R$ 67 milhões para setor da Saúde Pública

Por enquanto a greve é por tempo determinado, porém no início de dezembro uma nova assembleia será realizada para decidir sobre a greve por tempo indeterminado. De acordo com o presidente, durante o período da greve, serão suspensas todas as visitas de familiares e advogados a detentos, bem como os agentes deixarão de atuar na remoção de presos, inclusive para audiências judiciais, sendo garantidos alimentação, saúde, alvarás de soltura e audiência da vara de execução penal e tornozeleira eletrônica.

Durante a realização da assembleia a página oficial do Governo do Estado fez uma publicação garantindo recursos para realização do concurso com publicação para os próximos dias “Vamos esperar para ver se esse edital vai sair mesmo, de toda forma a categoria segue paralisada a partir de segunda-feira (21) ” concluiu o presidente.

Leia também:  Alto Araguaia | Exportação cai 11% no mês de julho
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.