Alunos com cartazes de manifestos - Foto : Messias Filho / AGORA MT
Alunos com cartazes de manifestos – Foto : Messias Filho / AGORA MT

Vários estudantes da Escola Estadual Adolfo Augusto de Moraes fazem protesto na manhã desta terça-feira (20) contra a reforma do Ensino Médio que inclui a educação integral em Rondonópolis. Os alunos estão concentrados na porta da escola e, por isso, as turmas do período da manhã não tiveram aulas. Eles utilizam cartazes com frases como “Por uma educação de qualidade”, “Em luto pela opinião dos alunos”, “Sem bolacha de sal”, e gritam “Fora integração”.

Joabe Texeira de Oliveira,estudante - Foto : Messias Filho / AGORA MT
Joabe Teixeira de Oliveira, estudante – Foto : Messias Filho / AGORA MT

“Eles nem pediram a nossa opinião como estudantes. Mais de 80% dos alunos não querem o ensino integral” relata o estudante Joabe Teixeira de Oliveira de 16 anos.

O aluno que cursa o ensino médio ainda relatou que muitos estudantes não vão conseguir conciliar a rotina com o estudo integral. “Muitos dos estudantes trabalham e ajudam nos deveres de casa. Nós fizemos um levantamento aqui, e constatamos que alguns dos nossos colegas vão parar de estudar, pois não vão conseguir conciliar a rotina” explica Joabe.

Leia também:  Observatório Social apresentou o ‘balanço’ do trabalho deste ano
Josevania Fonseca Silva diretora da escola Adolfo - Foto : Messias Filho / AGORA MT
Josevania Fonseca Silva diretora da escola Adolfo – Foto : Messias Filho / AGORA MT

De acordo com a diretora da Escola, Josevânia Fonseca Silva, a relação das escolas escolhidas para a adaptação do ensino integral sai nesta quinta-feira (22) e existe a possibilidade de 99% da Escola Adolfo ser selecionada. “Os alunos estão no direito deles de manifestar, mas eu acredito que eles não possuem o conhecimento do benefício que o ensino integral trás” diz a diretora.

Alunos fazendo manifesto em frente a escola - Foto : Messias Filho / AGORA MT
Alunos fazendo manifesto em frente a escola – Foto : Messias Filho / AGORA MT

Com a implantação do período integral, a Escola passa a ter apenas o Ensino Médio. “Já está sendo feito o remanejamento de escolas para os alunos do ensino fundamental não ficarem desamparados. Eles vão ter a possibilidade de estudar perto de suas casas. Aqueles alunos que trabalham vão ter a opção de estudar em outra escola que não seja integral. Não serão todas as escolas que vão passar por alteração. A proposta é que até 2020, 50% das Escolas estejam adequadas com o ensino integral” pontua a diretora.

Leia também:  Prevenção ao câncer de mama é assunto de palestra em Rondonópolis
Alunos fazendo manifesto na rua Dom Pedro II - Foto : Messias Filho / AGORA MT
Alunos fazendo manifesto na rua Dom Pedro II – Foto : Messias Filho / AGORA MT

Ainda conforme a diretora, o objetivo do ensino integral é que os alunos passem mais tempo na escola. “Com a  integração o Ministério da Educação – MEC vai disponibilizar R$ 2 mil por aluno. Esse dinheiro será investido em laboratórios e equipamentos de ensino. Já a licitação de reforma da Escola está em andamento e provavelmente comece em 2017” conclui a diretora.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.