As ações integradas e pontuais das polícias Civil e Militar em todo Estado, com apoio de órgãos federais, resultou na apreensão recorde de mais de 13 toneladas de drogas este ano. Essa é a maior quantidade apreendida dos últimos cinco anos. Os dados não incluem as apreensões realizadas neste mês de dezembro.

De janeiro a novembro de 2016 foram retirados das ruas 13.182,58 quilos de entorpecentes, um aumento de 53%, em comparação a todo o ano de 2015. Uma das maiores apreensões de drogas pela Polícia Militar, realizada no dia 21 de dezembro, quando 640 quilos de drogas foram apreendidos, não entrou ainda no cálculo. O entorpecente estava escondido em fundos falsos de duas camas box, um fogão e uma caixa térmica, que eram transportados como itens de mudança da cidade de Campo Grande (MS) a Mineiros (GO).

Leia também:  Operação Bairro Seguro é lançada em Rondonópolis

Dados da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) apontam que em 2015 a Segurança Pública apreendeu 8 toneladas de drogas. Já em 2014 foram 3,619 toneladas. Em 2013, o total de apreensão alcançou 3,9 toneladas. Em 2012, a soma do ano fechou em 1,9 tonelada. E em 2011 os números foram de 1,4 ton.

A maior parte da droga retirada de circulação é a maconha. De janeiro a novembro deste ano, foram pouco mais de 7 toneladas apreendidas. A pasta base aparece como a segunda maior apreensão, totalizando mais de três toneladas. De cocaína, foram apreendidas mais de duas toneladas.

O secretário de Segurança Pública, Rogers Jarbas, afirma que as apreensões são históricas e atribui ao investimento do Governo do Estado nos setores de Inteligência associado à maior integração entre as forças de Segurança.

Leia também:  Suspeito engole droga e o restante esconde na cueca

“O Governo investiu muito nos setores de Inteligência, com a criação dos núcleos de estatística e análise criminal e a intensificação e aparelhamentos dos núcleos de inteligência nas Regiões Integradas de Segurança Pública. Além disso, a integração das forças policiais com o Gefron, a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, com todos os atores que compõem o sistema de segurança pública, vem proporcionando um avanço expressivo na apreensão de drogas ilegais em Mato Grosso”, disse Rogers.

POLÍCIA CIVIL

Recentemente, um total de duas toneladas e 117 quilos de entorpecentes, entre maconha e cocaína, foram incineradas pela Polícia Judiciária Civil.

A quantidade de droga é a maior incinerada pela Delegacia Especializada de Entorpecentes (DRE), resultado de apreensões realizadas nos últimos três meses na região metropolitana.

Leia também:  Motociclista que assassinou travesti é procurado pela polícia

A grande quantidade de entorpecente é referente a apreensões da Polícia Civil e Polícia Militar, realizadas nos meses de setembro, outubro e novembro, que resultaram em procedimentos policiais, como inquéritos policiais, boletins de ocorrência e Termo Circunstanciados de Ocorrência (TCO).

Para o delegado titular da DRE, Juliano Silva de Carvalho, a destruição da grande quantidade de entorpecentes é resultado da integração das forças policiais no combate ao tráfico de drogas.

“A intensificação das ações tanto da Polícia Civil quanto da Polícia Militar conseguiu retirar de circulação as drogas que seriam ofertadas nas ruas e que alimentaria vícios e criaria novos dependentes”, disse.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.