Mato Grosso do Sul já registrou os dois primeiros casos de ferrugem asiática da soja na safra 2016/2017, segundo dados do Consórcio Antiferrugem, a parceria público-privada de combate a doença, que é uma das principais a atingir as lavouras da oleaginosa.
Os dois casos registrados até o momento no estado ocorreram na região sul. O primeiro em Dourados, a 214 quilômetros de Campo Grande, em uma planta de soja voluntária, também conhecida como soja guaxa. O foco foi confirmado pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), no dia 3 de novembro.

Imagem: casos de ferrugem asiática na safra de soja
Foto: Wanderlei Dias Guerra / Mapa

O segundo caso ocorreu em uma lavoura comercial no município de Amambai, a 332 quilômetros de Campo Grande. Segundo o Consórcio, a planta doente foi identificada pelo pesquisador José Fernando Jurca Grigolli, da Fundação MS. A confirmação foi feita no dia 21 de novembro.
De acordo com o Consórcio, além do registro em Mato Grosso do Sul, foram confirmados mais 5 focos em lavouras comerciais do país, sendo 3 no Paraná e 2 em São Paulo. Entretanto, em plantas voluntárias a dispersão da doença é muito maior com ocorrências em São Paulo (7), Paraná (6), Rio Grande do Sul (5), Santa Catarina (2) e Mato Grosso (2).

Leia também:  Bebê nasce com quase 6 quilos e vira atração em maternidade de Cascavel

Safra passada
Na safra 2015/2016, Mato Grosso do Sul registrou 70 focos de ferrugem asiática, 268% a mais do que no ciclo anterior, 2014/2015, que foi de 19 casos. Também foi a maior incidência das últimas seis temporadas, até então. O último surto havia ocorrido na temporada 2009/2010, quando os agricultores sul-mato-grossenses contabilizaram 333 ocorrências da doença.

Chapadão do Sul, no nordeste do estado, foi um dos municípios que registrou o maior número de casos em todo o país na temporada passada, com 40 focos. Além da cidade, outros 12 municípios do estado registraram casos da doença: Amambai (1), Aral Moreira (4), Camapuã (1), Costa Rica (4), Dourados (4), Laguna Carapã (2), Maracaju (4), Naviraí (2), Ponta Porã (4), São Gabriel do Oeste (1), Sidrolândia (2) e Sonora (1).

Leia também:  Agosto registra mais de 35,45 mil novas vagas de trabalho formal no país

O que é a ferrugem asiática
De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a ferrugem é considerada uma das doenças mais severas que incidem na cultura e pode ocorrer em qualquer estádio fenológico da cultura.
Plantas infectadas apresentam desfolha precoce, comprometendo a formação e o enchimento de vagens, reduzindo o peso final dos grãos. Nas diversas regiões geográficas onde a ferrugem asiática foi relatada em níveis epidêmicos, os danos variam de 10% a 90% da produção.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.