Imagem: deficiente tem carro multado em  vaga de PNE
Foto: Reprodução/Facebook

Um lutador com deficiência física foi multado após estacionar o carro em uma vaga reservada para Portadores de Necessidades Especiais (PNE), em frente a um restaurante do Shopping Flamboyant, em Goiânia. Segundo Elcirley Luz Silva, de 42 anos, que pratica jiu jitsu, a infração foi aplicada mesmo o veículo possuindo a credencial e o adesivo que o permite parar no local. Ele afirmou que se sentiu “humilhado”.

A Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade de Goiânia (SMT) alega que o adesivo está em desuso e o cartão de deficiente não estava visível.
A situação aconteceu na última sexta-feira (23) e ganhou repercussão depois de um post nas redes sociais. Elcirley, que tem uma prótese na perna esquerda, explicou que havia saído com a mulher e os dois filhos, de 15 e 10 anos, de Barra do Garças, no Mato Grosso, com destino à Brasília, onde passaria o Natal na casa de parentes.

Leia também:  Policiais civis são investigados por passar informações de operações no RJ

Durante o trajeto, parou para almoçar no restaurante e colocou o veículo na vaga especial.

“Quando sai, notei que havia sido multado. Pensei que era brincadeira e achei muito estranho. Procurei os funcionários do shopping e eles não me deram apoio. Então contei com o apoio do gerente do restaurante e acionei a Polícia Militar”.
O lutador contou que, minutos antes da PM chegar, um carro da SMT com os agentes que o multou apareceu. Quando questionou o porquê da multa, ficou surpreso com a resposta.

“Eles disseram que a minha licença para estacionar naquela vaga, por ser emitida em Barra do Garças, não valeria em Goiânia. Mas a credencial é de âmbito federal. Em seguida, disseram que iriam guinchar meu carro. Logo em seguida a polícia chegou e fomos todos para a delegacia”, explicou.

Leia também:  Jovens que participavam de baile funk são agredidos com cassetes por policiais militares

Na delegacia, Elcirley fez um registro de ocorrência por danos morais e prometeu levar o caso à Justiça. Quer ainda recorrer da multa, no valor de R$ 107. A chegada a Brasília, prevista para as 16 horas, só ocorreu às 23 horas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.