A todo instante carros e motos chegam para despejar lixo - Foto: Ricardo Costa / AGORA MT
A todo instante carros e motos chegam para despejar lixo – Foto: Ricardo Costa / AGORA MT

O AGORA MT recebeu a denúncia de que uma área apontada como Ecoponto na região do Jardim Ebenézer, vem se tornando um lixão, com recebimento de todo o tipo de resíduos. A falta de limpeza regular nos últimos meses chamou a atenção dos moradores e até de quem se sustenta da coleta de lixo, devido ao volume acumulado.

Segundo a denúncia, a área que vem recebendo o acúmulo de entulho, fica no bairro Jardim Ebenézer, próximo ao grande templo da Assembleia de Deus, (região próxima do Córrego do Canivete), em Rondonópolis.

A informação é que não estão tratando o Ecoponto como um local público para se desfazer de materiais recicláveis, pois no local são encontrados: pneus, sofás, animais mortos, entulhos de construções, fios, plásticos e mangueiras.

Leia também:  Peixes aparecem mortos no Ribeirão Arareau e mau cheiro intriga moradores
Trabalhadores que vivem da separação do lixo reclamam da prefeitura - Foto: Ricardo Costa / AGORA MT
Trabalhadores que vivem da separação do lixo reclamam da prefeitura – Foto: Ricardo Costa / AGORA MT

Para Daiana Cristina da Silva, 30 anos, moradora do bairro Nova Era, a Prefeitura os esqueceram. “Impossível que a Prefeitura não está vendo esse lixo todo aqui, eles precisam vir aqui e levar o lixo embora, eu também vivo de catar lixo, mas isso aqui já é uma vergonha”, diz.

De acordo com Wilson Costa de Oliveira, 54 anos, catador de lixo, acredita que são resíduos que não podiam estar sendo depositadas no local, pois está muito próximo ao leito do Córrego do Canivete. “O risco de contaminação aumenta a cada dia e ninguém vê isso”, diz.

OUTRO LADO – A Assessoria de Imprensa da Prefeitura explicou que o contrato com a Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis (CODER), venceu na semana passada em função do final da gestão. “Os moradores terão que esperar a próxima gestão e por isso que está gerando o acúmulo de materiais”, explica.

Leia também:  Unidade Caic realiza palestra sobre saúde da mulher na quinta

O diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis (Coder) Cristóvão José Teixeira, explicou que vários caminhões foram dispensados com o final da gestão e isso prejudicou a coleta nos ecopontos. “Os lixos nesse local já não estão mais pra fora do espaço como antes, porque a máquina centralizou no terreno, mas não é possível fazer a coleta total devido o número menor de máquinas em funcionamento”, alegou Cristóvão.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.