Um policial militar lotado no Batalhão de Trânsito Urbano e Rodoviário pode ser o “líder” de uma quadrilha especializada de roubos de veículos, em Cuiabá. O militar, além de chefiar o bando, ainda fornecia arma de fogo para os bandidos praticarem o assalto. O caso veio à tona com a prisão de três assaltantes na tarde desta terça-feira, 6, na Capital. Um deles denunciou o militar, já identificado e qualificado.

Imagem: policial militarA denúncia partido o assaltante Bruno Moreira de Magalhães Cavalcante, de 20 anos, um dos integrantes do bando, que pode ter outros integrantes além dos três presos por policiais da Ronda Ostensiva Tético Móvel (Rotam) depois do roubo de um veículo modelo Ford EcoSport branco, tomado de assalto de uma empresária.
Além de Bruno, que mostrou o WhatsApp onde consta uma conversa com o policial militar, a Rotam ainda prendeu em flagrante os assaltantes Weverton de Almeida Rodrigues, de 23 anos, e um garoto de apenas 15 anos de idade.

Leia também:  Acadêmico tem carro arrombado e pertences furtados em faculdade de Rondonópolis

O bando assaltou por volta das 15 horas da tarde na tarde desta terça-feira no Jardim Imperial, região do Coxipó, em Cuiabá, de uma empresária, que além do carro, um EcoSport, os bandidos ainda roubaram um aparelho smartphone e outros objetos da empresária que estavam dentro do carro.
A Polícia Militar foi acionada, e iniciou as buscas pelo carro e para tentar prende os assaltantes, que fugiram do local em um veículo Chevrolet Classic. Logo em seguida os PMs descobriram que o carro da vítima estava parado no estacionamento do Supermercado Comper do Jardim Itália.

Imagem: sirene policia viaturaNas buscas, os policiais da Rotam ainda apreenderam uma moto, porções de maconha, as chaves de outros veículos e o smartphone da empresária. Apreensões que materializaram os crimes de roubo, receptação de roubo e formação de quadrilha.
Em depoimento na Central de Flagrantes, Bruno abriu a boca. Disse que o chefe da quadrilha era o policial militar D.A.C., – a Polícia já tem o nome completo do policial acusado e todas as suas qualificações -, lotado no Batalhão de Trânsito Urbano e Rodoviário.
Para comprovar as denúncias graves e sérias contra o policial militar, Bruno ainda mostrou à Polícia, uma mensagem gravado no WhatsApp de uma conversa ele ele e o policial militar.

Leia também:  Trio encapuzado invade residência e rende casal durante assalto
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.