Da esquerda para a direita Wellinton de Jesus Costa, Iraci Queiroz dos Santos Baiana e Débora Queiroz dos Santos - Foto: Ricardo Costa / AGORA MT
Da esquerda para a direita Wellinton de Jesus Costa, Iraci Queiroz dos Santos Baiana e Débora Queiroz dos Santos – Foto: Ricardo Costa / AGORA MT

Um caso que inicialmente foi tratado como maus-tratos a um bebê de três meses de vida no início dessa semana no município de São Pedro da Cipa, teve uma reviravolta e levou a polícia a uma linha de investigação chocante que envolve rituais de magia negra. A Polícia Civil do município de Jaciara, comandada pelo delegado Marcelo Melo, já prendeu três envolvidos na sessão de tortura, sendo um deles o pai da criança.

Imagem: raioX
Raio-x da cabeça da criança – Foto: Divulgação

O desenrolar do caso aconteceu após os relatos da mãe, uma menor de 17 anos, à delegada Lígia Silveira. No relato, a mãe afirmou que desde que estava grávida vinha sofrendo pressão para entregar a criança a mulher conhecida como Baiana para que ela fizesse o ritual e que com isso iria ganhar R$250. Com detalhes ela afirmou que a sessão aconteceu na casa da filha da Baiana, Debora Queiroz, 20 anos, que está grávida e também foi presa.

Segundo ela, no local tinham quatro velas brancas e uma vermelha e que eles deram um líquido amarelo para que a mãe bebesse e dormisse durante o ritual. Quando acordou e foi para casa com o bebê e o pai, Wellinton de Jesus Costa, 28 anos, que teria acompanhado todo o ritual, ela acreditou que nada tinha sido feito, já que a menina estava viva.

Em casa, a criança que já estaria com as agulhas no corpo, não parava de chorar e por isso o casal resolveu levá-la até o Pronto Atendimento onde foi atendida e o Conselho Tutelar acionado.

Wellinton de Jesus Costa pai da criança que teria sido submetida a um ritual de magia negra - Foto: Ricardo Costa / AGORA MT
Wellinton de Jesus Costa pai da criança que teria sido submetida a um ritual de magia negra – Foto: Ricardo Costa / AGORA MT

Após o relato, os policiais conseguiram deter ainda ontem (14) o pai da criança e Iraci Queiroz dos Santos, 38 anos, conhecida como Baiana. Na tarde desta quarta (14) foram expedidos os mandados de prisão temporária da filha da Baiana que também estava no ritual e do marido dela identificado como Ricardo que está foragido.

Em entrevista, Baiana afirmou que nem conhecia os pais da criança e que jamais faria isso e que inclusive é evangélica. A filha dela também negou a participação.

O pai do bebê disse que não sabe como as agulhas foram parar no corpo da criança e nem porque a mãe está contando essa história.

Da esquerda para a direita: Delegado Marcelo Melo de Jaciara e o delegado regional Claudinei Lopes - Foto: Ricardo Costa / AGORA MT
Da esquerda para a direita: Delegado Marcelo Melo de Jaciara e o delegado regional Claudinei Lopes – Foto: Ricardo Costa / AGORA MT

O delegado de Jaciara afirmou que o Inquérito Policial está apenas na fase inicial e que as investigações continuam em relação a tentativa de homicídio. Ele afirmou ainda que os homens ficarão presos na Cadeia Pública de Jaciara e as mulheres serão encaminhadas para a Cadeia Feminina de Rondonópolis. Em relação a mãe da criança que é menor, está em liberdade, mas será pedido um mandado de internação.

De acordo com o delegado regional Claudinei Lopes, que acompanhou o fato de perto, a interação entre as delegacias foi importante na resolução do caso que chocou a Região Sul.

OUTRO FILHO

O casal tem ainda outro filho de 2 anos de idade que também passou por exames médicos e tem alguns sinais pelo corpo. O pai falou que a criança tem alergia a picada de formiga e as marcas seriam disso.

Igreja da cidade de São Pedro da Cipa - Foto: Ricardo Costa / AGORA MT
O fato aconteceu na cidade de São Pedro da Cipa – Foto: Ricardo Costa / AGORA MT

Leia também:

São Pedro da Cipa | Pais são presos e bebê de três meses é internado com agulhas na cabeça

Médicos falam sobre estado de saúde de bebê internado com agulhas na cabeça

COMPARTILHAR

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.