Durante o mês de novembro 405,27 mil animais foram abatidos em Mato Grosso (MT), 1,29% a mais que em outubro. Esse acréscimo deve-se exclusivamente as fêmeas, pois em todas as faixas etárias houve significativo aumento, e com isso, o total de fêmeas abatidas cresceu 25,60%. As informações foram disponibilizadas pelo Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) e divulgadas pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Os dados mostram que em divergência das fêmeas, os machos obtiveram queda em todas as faixas etárias, recuando 8,32%. Tal movimentação pode ser explicada pela sazonalidade, visto que, em 12 dos últimos 14 anos o abate de fêmeas registrou elevação comparando-se novembro com outubro, e em nove dos últimos 14 anos, o total de machos abatidos diminuiu.

Leia também:  Possíveis desastres naturais serão enviado via SMS para população de Mato Grosso

Segundo os economistas as principais justificativas para esse fluxo “padrão” são: diminuição da entrega de animais de confinamentos – maioria de machos -, e com o adiantamento das chuvas, há relatos de pecuaristas que anteciparam a estação de monta, e conseguiram desta forma abreviar o descarte de fêmeas que não emprenharam.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.