Imagem: reitora da UFMT em coma induzido
Foto: Reprodução/TVCA

A equipe médica responsável pelo tratamento da reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Myrian Serra, que sofreu um aneurisma cerebral na noite de sábado (10) durante um evento cultural, em Cuiabá, anunciou nesta quarta-feira (14) que iniciou o processo de redução da sedação e realizou a retirada do cateter que monitorava a pressão da paciente.

De acordo com a assessoria da UFMT, Myrian Serra, segue internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santa Rosa, na capital mato-grossense. O quadro de saúde continua grave, porém, é considerado estável e com discreta melhora.

A professora passou mal na noite do último sábado no Teatro Universitário. Myrian passou mal no teatro da UFMT depois de ter feito um discurso que antecederia uma apresentação do coral da universidade, já como parte das comemorações dos 46 anos da instituição.
Após os primeiros socorros recebidos de médicos presentes no local e das equipes do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), foi levada para o hospital.

Leia também:  Detran-MT aguarda orientação para implantar a CNH digital no estado

Na madrugada de domingo (11), Myrian foi submetida a um procedimento neurocirúrgico para a implantação de um cateter para monitorar a pressão intracraniana, temperatura cerebral e drenagem do liquor hemorrágico e, posteriormente, o aneurisma cerebral foi tratado.
A Universidade Federal de Mato Grosso suspendeu as atividades relativas à comemoração de aniversário da instituição, que completa 46 anos neste mês.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.