Imagem:
Reprodução

Em depoimento à polícia, o adolescente de 17 anos que confessou ter matado o inspetor de escola Bruno Gustavo da Silva, de 22 anos, e o carteiro Luiz Carlos da Cruz, de 48 anos, ambos homossexuais, em Santa Bárbara d’Oeste (SP), disse ter repulsa por homossexuais e riu ao ver as fotos de uma de suas vítimas com ferimentos graves, segundo a Polícia Civil.

“O jovem descreveu os crimes friamente e com riqueza de detalhes, destacando sempre sua repulsa por homossexuais”, diz um trecho do boletim de ocorrência.
Para à polícia, ele contou que os assassinatos foram premeditados e que em ambas as situações ele atraiu as vítimas marcando programas sexuais para matar e depois roubar elas. Em um dos momentos do depoimento.

Leia também:  Vereador é preso em flagrante suspeito ser mandante de 4 homicídios no RS

o jovem riu ao ver fotos de Bruno com ferimentos causados pelas pauladas que recebeu dele, dizendo que chegou a pular na cabeça do inspetor de escola. O menor prestou o depoimento acompanhado de sua mãe e foi mantido em uma cela isolado para ser apresentado a um juiz, informou a Polícia Civil.

Entenda o caso

Depois de receber uma denúncia anônima, a Polícia Militar de Santa Bárbara d’Oeste foi até a casa do adolescente de 17 anos, no bairro Santa Fé, na última terça-feira (13). Ao ser questionado sobre a morte de Bruno Gustavo da Silva, o jovem confessou o crime e ainda informou que também era responsável pela morte de Luiz Carlos Silva, ocorrida em outubro deste ano. Após ser apreendido, ele contou detalhes dos crimes em depoimento à Polícia Civil nesta quarta-feira (14).

Leia também:  Criança de 9 anos é morta com tiro na cabeça por padrasto que tentou fugir
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.