Imagem: Miss é presa por tráfico de drogas
Foto: Divulgação

Uma miss e o namorado foram presos em flagrante por tráfico de drogas, no interior de São Paulo. O que chamou a atenção da polícia é que eles ostentavam uma vida de luxo, embora nunca trabalhassem.

Ela foi miss em 2013, concorreu o miss São Paulo 2014, era a referência em beleza na cidade de Porto Feliz, interior paulista, mas da noite para o dia a beleza e a vida de luxo, deram lugar a cadeia.

Gisele Cristina, de 21 anos, está envolvida com uma quadrilha de tráfico de drogas que comanda pelo menos três cidades do interior paulista: Porto Feliz, Salto e Itu.

Pela beleza e a vida financeira que tinha, Gisele era vista com uma vencedora que saiu do nada e construiu uma fortuna aos 21 anos. Mas o que ninguém podia imaginar é que tudo o que ela possuía vinha do dinheiro do tráfico de drogas.

Leia também:  Suspensão da venda de mais de 30 planos de saúde pela ANS entra em vigor nesta sexta

O namorado da miss, Franklin Firmino, de 31 anos, também foi preso. Para a polícia ele é o cabeça da quadrinha. Era ele quem comprava a droga e depois marcava os pontos para distribuição.

Imagem: namorado de miss
Foto: Divulgação

O esquema era muito lucrativo. Ele chegou a construir um império com o dinheiro do tráfico e para não chamar atenção, ele se passava por empresário de sucesso. Além dele e da namorada outras três pessoas também foram para a cadeia. Todos seriam pessoas de confiança do homem.

Franklin e Gisele chegaram a investir muito dinheiro no Sport Clube União, time de futebol da cidade. Eles eram os maiores patrocinadores do clube de futebol, tinham lugar garantidos nos jogos que aconteciam no estádio. Franklin não era só patrocinador do time, mas também jogador.

Leia também:  Polícia resgata gatos mantidos presos para servir de comida a falcões no RJ
Imagem: foi encontrada muita quantidade de  drogas.
Foto: Reprodução/Record TV
Imagem: foi encontrada muita quantidade de  drogas
Foto: Reprodução/Record TV

 

 

 

 

 

A quantidade de drogas prontas para a venda chamou muito a atenção. Eram mais de mil pinos de cocaína, mais de 800 pedras de crack, além de pedras brutas que seriam repartidas. Na casa de Franklin a polícia ainda localizou uma balança de precisão que é usada para pesar droga, joias, celulares e mais de R$ 18 mil em dinheiro.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.