2016 teve dramalhão regado a lágrimas, crise financeira, especulação imobiliária, algumas cenas aterrorizantes, super-heróis e até uma invasão alien. Não fosse pela última parte (ou não, vai saber), poderia até ser um resumo da vida real. Mas tudo isso, na verdade, marcou o cinema do ano que está prestes a acabar. O G1 fez uma lista dos 10 filmes que fizeram 2016 valer a pena (assista acima).

Todas as produções estrearam no Brasil esse ano. Então aparecerão longas que ganharam prêmios na última edição do Oscar, mas só chegaram aos cinemas brasileiros em 2016. Alguns filmes que estão na corrida para os prêmios da Academia em 2017, mas só serão lançados no país a partir de janeiro, ficam de fora. Ano que vem eles serão lembrados.

Iremar, o protagonista de “Boi neon” desconstrói qualquer estereótipo do machão sertanejo. O filme é uma das melhores produções brasileiras do ano. Tem uma discussão super atual sobre gêneros e fotografia e direção de arte surpreendentes. Juliano Cazarré aparece numa atuação cativante como um vaqueiro que sonha ser estilista.

9 – “Elle”

A atuação da atriz Isabelle Hubert é praticamente unanimidade entre críticos e deve conseguir uma indicação ao Oscar 2017, o que diminui bastante as chances da brasileira Sonia Braga, de “Aquarius” (falaremos dele mais adiante). Mas muito merecido. Graças à veterana, o longa consegue pegar um tema pesado como estupro e levar a lugares completamente inesperados, mantendo uma leveza ainda mais surpreendente. Aliás, tanto filme como atriz conseguiram indicações ao Globo de Ouro.

Leia também:  Do outro lado do Paraíso | Clara demonstra desejo: 'Uma vingança sem armas'
Imagem: mogli
Cena de ‘Mogli – O menino lobo’ (Foto: Divulgação)(Foto: Divulgação)

8 – “Mogli – O menino lobo”

A regravação com “atores reais” do clássico da Disney foi uma aposta arriscada que se mostrou correta. O estúdio e o diretor Jon Favreau acertaram tão em cheio com o tom e os efeitos que a produção deve ser a primeira de um novo gênero.

7 – “Aquarius”

Você pode até não ter assistido a “Aquarius”, mas certamente ouviu falar de toda celeuma envolvendo o filme nesse ano. O fato é que por trás de toda a polêmica, iniciada com um protesto do elenco na França contra o impeachment de Dilma Rousseff, há um ótimo representante do cinema nacional. A história até apela um pouco para o maniqueísmo, mas faz uma poderosa reflexão sobre relações de poder e apego à memória. Sonia Braga aparece em um dos melhores momentos de sua carreira.

Leia também:  Resumo de novelas desta terça-feira (28)
Imagem: aposta
Brad Pitt em ‘A grande aposta’ (Foto: Divulgação)

6 – “A grande aposta”

O filme de Adam McKay transforma um economês complicado e até meio chato em uma história divertida, empolgante e que ensina muito sobre os caminhos do dinheiro nos Estados Unidos. Com um elenco de astros – Christian Bale, Steve Carell, Ryan Gosling e Brad Pitt estão no time -, o filme levou um Oscar em 2016. Merecia mais.

5 – “Rogue One – Uma história Star Wars”

A quinta colocação chega aos 45 minutos do segundo tempo para garantir um lugar na lista em grande estilo. Muita gente até tinha medo desse primeiro filme paralelo da franquia, mas acontece que a Disney encontrou uma história que valia a pena ser contada. E ainda entregou um dos melhores clímax da franquia até aqui.

Imagem: bruxa
Harvey Scrimshaw e Anya Taylor-Joy em ‘A bruxa’ (Foto: Divulgação)

4 – “A bruxa”

O ano pode até não ter sido dos melhores, mas com certeza não deu mais medo que “A bruxa”. O melhor filme de terror dos últimos tempos consegue criar uma atmosfera tensa e apavorante com um ritmo lento e sem apelar para clichês do gênero. Muita gente acha que ele é um marco da renovação do horror. E tem brasileiro na equipe: Rodrigo Teixeira produz o longa.

Leia também:  Atriz da Globo Márcia Cabrita morre aos 53 anos

3 – “Deadpool”

O Globo de Ouro pode viajar em muita coisa, mas acertou em indicar “Deadpool” a melhor filme de comédia ou musical do ano. Tá certo que não é bem comédia, mas ele merece. E, mais do que premiações, o herói conseguiu o que interessa de verdade, e se tornou o filme para maiores de idade mais bem-sucedido na história dos EUA.

Imagem: o quarto de jack brie larson jacob
Brie Larson e Jacob Tremblay em ‘O quarto de Jack’ (Foto: Divulgação)

2 – “O quarto de Jack”

Se essa lista fosse dos filmes que geraram mais lágrimas em 2016, com certeza “O quarto de Jack” seria campeão absoluto. A combinação de uma história dramática, com uma abordagem sensível e as atuações impecáveis de Brie Larson e do pequeno Jacob Tremblay acertou em cheio o coração das pessoas. Não à toa o filme levou uma estatueta do Oscar, pelo desempenho da atriz principal.

1 – “A chegada”

A produção de Denis Villeneuve mistura ficção científica, debate filosófico e uma grande interpretação de Amy Adams para entregar o filme do ano. Se não ganhar o Oscar de melhor filme, merece pelo menos uma estatueta de melhor diretor ou de roteiro adaptado. E, é claro, nosso primeiro lugar.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.