Bom dia, boa tarde, boa noite, boa madrugada, o Ano Novo chegando, e nós só temos a agradecer a vocês por tamanho carinho, ‘sem vocês aqui, a vida é tão sem graça’, parafraseando uma música.

Passando o ano a limpo, penso que aqui buscamos ajudar os senhores a compreender o direito de uma forma objetiva e simples, um direito do seu dia a dia, um direito que você vive e não teoriza (apenas fica pensando sobre).

Aqui já discutimos temas de vida e de morte, temas que podem levar uma pessoa ao sucesso ou ao fracasso, e hoje eu gostaria de compartilhar com os senhores alguns aspectos do direito que podem contribuir realmente para um Ano Novo, de verdade.

Na virada de ano é provável que você faça planos e que esses planos sejam planos de melhoria de vida, em vários aspectos, talvez parar de fumar, sair de um relacionamento ruim, ganhar mais dinheiro, ou apenas viver melhor.

Infelizmente é provável também que seus planos não sobrevivam, nem até o Carnaval e que a rotina imponha a sua vontade, e que façamos tudo de novo, em uma repetição dos mesmos erros, e infelizmente tenhamos os mesmos resultados.

Leia também:  O Uber ficará em Rondonópolis | Entendendo Direito

O Direito é uma técnica para obrigar as pessoas a fazerem o que se espera delas, agora você, nosso leitor, já sabe muito mais de Direito do que a maioria das pessoas que realmente deveriam saber, falarei aqui hoje com vocês para incorporarmos uma pequena técnica do Direito na sua vida, para que os resultados realmente apareçam nos seus planos de mudanças em 2017.

Vamos lá, no Direito existem princípios que são norteadores (guias) de todo o sistema de regras (leis) esses princípios são fórmulas gerais de comportamento baseados no bom senso, e de aceitação universal por serem auto evidentes (até cego vê).

Você pode ver esses princípios ou uma coleção deles no artigo 37 da Constituição Federal que fala sobre vários princípios onde a vida pública e a administração tem que ser pautada (seguida), esses princípios foram feitos para que pessoas administrassem bilhões e patrimônios, e eu espero que você concorde que não há nada mais valioso que a sua vida no universo.

Leia também:  Nova modalidade de emprego na reforma trabalhista | Entendendo Direito

Desses princípios, um deles, pode ajudar a mudar a realização das suas metas no ano novo, sim vamos trabalhar com cuidado e aos poucos, uma das coisas que impedem as metas de Ano Novo de se realizarem é porque escolhemos problemas demais para trabalharmos de uma vez, então vamos fazer do jeito certo, aos poucos e sempre em aperfeiçoamento.

Esse começo é o princípio da publicidade, no Direito a administração pública deve buscar dar transparência de todos os seus atos, eu estou convidando você para dar transparência da sua meta mais importante a todos que você ame, não todas as metas, mas a sua meta fundamental, a que mudará tudo.

Ao darmos publicidade as metas (neste caso só a meta fundamental, a mais importante), nós vamos nos comprometer, com as pessoas que amamos a realmente tentar, a realmente buscar a mudança, que nunca é fácil, você pode e deve fazer isso, de preferência por escrito, que é onde seu compromisso se firma.

Ao dar publicidade a sua meta, e fazê-la na forma escrita, você aplicou técnicas supermodernas do Direito no seu dia a dia, suas chances de concretização sobem mais de 80% (não tenho a fonte desse dado estatístico, mas posso garantir que é mais).

Leia também:  O Estatuto do desarmamento e a violência

Deixe essa declaração por escrito, que você deu publicidade com as pessoas que você ama, isso fará com que na vontade de desistir, (ela sempre vem), você se envergonhe e continue a caminhada, pois você já revelou sua meta mais importante as pessoas , você colocou em um papel, você assinou, você não pode falhar, todos sabem e esperam que você faça.

Grande Ano Novo, deixo com vocês aqui por escrito minha meta profissional mais importante, aquela que mudará tudo, dou publicidade da minha meta para que eu tenha vergonha de falhar e não cumprir.

Irei ler 3.654 páginas de Direito processual civil, (como os juízes julgam casos civis) e saberei essa matéria tão bem que haverá pessoas que saibam igual a mim, mas não haverá uma pessoa no Brasil que saiba mais do que eu.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.