A diretoria do Santos está disposta a reforçar o elenco com jogadores de peso para 2017, ano de Libertadores da América. Mas, para isso, é preciso encontrar parceiros dispostos a ajudar nas negociações e no pagamento de salários, com a exploração da imagem do atleta em contrapartida.

O Peixe não vai aumentar a folha (cerca de R$ 4,5 milhões) e nem quer mudar o teto salarial (R$ 250 mil mensais). O presidente Modesto Roma já conduz negociações com investidores.

Imagem: GabigolO Alvinegro acertou a chegada do zagueiro Cleber, do Hamburgo, por R$ 7,3 milhões, e agora busca trazer atletas importantes para o ataque. Nomes como Robinho e Cazares, do Atlético-MG, Gabigol, do Internazionale, e Valdívia e Nico López, do Internacional, estão na mira.

Leia também:  Eurico Miranda é afastado da presidência do Vasco por ser acusado de apoiar vandalismo de torcida

Todos os nomes escolhidos esbarram em um ponto em comum: os altos salários, superiores ao teto de R$ 250 mil. O Santos quer primeiro saber as condições para contratar e, posteriormente, fechar acordo com empresas para formalizar as propostas.

Enquanto procura novas peças para o elenco, o Peixe já fechou com o zagueiro Cleber, o lateral-direito Matheus Ribeiro e o atacante Vladimir Hernández. A comissão técnica ainda quer um zagueiro, um meia, um ponta e um centroavante.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.