Imagem: Alan Malouf e o advogado Huendel Rolim
Alan Malouf (esq) e o advogado Huendel Rolim (dir)

A família do empresário Alan Malouf, preso na quarta-feira (14) em Cuiabá, defende que ele feche o mais rápido possível uma delação premiada com o Ministério Público Estadual (MPE) e fale logo “tudo o que sabe”.

A expectativa de familiares é que, agindo assim, ele consiga a liberdade em um curto espaço de tempo e a expectativa do mundo político mato-grossense é que a delação do empresário seja uma verdadeira bomba atômica que pegará muita gente “boa” de várias gestões.

Alan é acusado de ser um dos envolvidos em um esquema de corrupção na Seduc, por meio de direcionamento de licitações para obras em escolas. Ele ficaria com 25% do dinheiro desviado.

Leia também:  OAB quer quebra de sigilo em delação de Silval

O ESPECIALISTA

Para a sua defesa o empresário Alan Malouf contratou o advogado Huendel Rolim, famoso por pegar casos envolvendo delação premiada.

Huendel, trabalhou para dois delatores que foram pivôs das operações Ararath e Sodoma.

Malouf foi apontado pelo delator Giovani Guizardi como operador de caixa 2 no valor de R$ 10 milhões para a campanha do governador Pedro Taques (PSDB). Ele também teria sido um dos coordenadores financeiros da campanha do tucano em 2014.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.